PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Palmeiras perde chance de definir final na ida e sofre com "risco Luan"

Gustavo Gómez vibra após anotar o gol do Palmeiras contra o Grêmio, na final da Copa do Brasil - Fernando Alves/AGIF
Gustavo Gómez vibra após anotar o gol do Palmeiras contra o Grêmio, na final da Copa do Brasil Imagem: Fernando Alves/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

28/02/2021 22h55

O Palmeiras poderia voltar para São Paulo com uma mão e meia na taça da Copa do Brasil depois do jogo de ida contra o Grêmio neste domingo (28). O time perdeu duas chances claras de gol em um jogo que não foi tão bom no aspecto técnico e ainda passou os últimos minutos sofrendo por causa do que chamo de "risco Luan". Os gaúchos devem agradecer pelo placar ter terminado só 1 a 0.

VEJA MAIS: Borré não recusou proposta do Palmeiras e quer arrastar definição

O zagueiro faz boas partidas, sabe sair jogando, mas é marcado por falhar em momentos decisivos, como já tinha sido na semifinal do Mundial diante do Tigres, quando ele fez um pênalti completamente infantil. Desta vez, foi a vez de dar uma cotovelada em Diego Souza e ser merecidamente expulso quando o Alviverde dominava as ações.

Olhando de maneira isolada o placar, o resultado é excelente. Mas o Palmeiras também voltou a apresentar um problema que muito incomoda Abel Ferreira: perder gols claros. Em várias coletivas de imprensa, o treinador já reforçou que seus atacantes precisavam ser mais certeiros nas chances criadas. Em um jogo como a final de hoje o desperdício tem um preço ainda maior.

Luiz Adriano perdeu chance clara nos últimos segundos do primeiro tempo após passe de Raphael Veiga em gol que seria validado pelo VAR porque a posição era legal. Depois, no segundo tempo, o mesmo Veiga deu rolinho de cinema em Paulo Miranda e achou Rony entrando na pequena área. Ele também desperdiçou.

O Palmeiras não apresentou um futebol vistoso, mas foi extremamente competitivo na maior parte do jogo, nitidamente concentrado para uma final. Do outro lado, o Grêmio não só demonstrou um repertório fraco, como não aparentava estar tão competitivo para o time que é famoso por ser definido como copeiro por Renato Gaúcho. O melhor jogador acabou sendo Ferreirinha que entrou no segundo tempo. Faltou muito futebol dos donos da casa.

SAIBA MAIS: Palmeiras aprova contas de 2020 com déficit de R$ 151 milhões; veja detalhes

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL