PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Consertar lado direito defensivo é principal preocupação do Palmeiras

Rony disputa bola em partida entre Palmeiras e Atlético-GO - Marcello Zambrana/AGIF
Rony disputa bola em partida entre Palmeiras e Atlético-GO Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

22/02/2021 19h51

Abel Ferreira parece usar os jogos até a final da Copa do Brasil para achar soluções para o Palmeiras. Como não tem tempo para treinar, ele usa os jogos para isso. Só assim para entender o uso de todos os titulares depois de uma partida com força máxima na sexta-feira. Hoje, contra o Atlético-GO, o português encontrou pela frente um velho problema no empate por 1 a 1: o lado direito defensivo. Tudo o que ele tem de bom na esquerda, falta no outro canto.

Veja também: WTorre fala sobre suposta venda de operação do Allianz

No início da partida, ele escalou Mayke mais avançado, com a responsabilidade de ajudar na marcação na hora em que o time está sem a bola. Marcos Rocha foi o lateral de ofício, com Luan jogando por ali ao lado de Gustavo Gómez, na esquerda. O gol do Atlético-GO aconteceu justamente por ali, sem nenhum dos laterais marcando e com Luan caindo pela esquerda.

Esse é um problema antigo da defesa palmeirense e que por vezes coloca o time em perigo nos momentos decisivos. Contra o River Plate, na ida na Argentina quando o time ganhou de 3 a 0, a maioria das chances dos argentinos foi por ali. Contra o Tigres, Luan também fez pênalti infantil para compensar falha de posicionamento.

No restante do jogo, o treinador aproveitou para dar ritmo a Zé Rafael e Wesley, que voltam de tratamento. O comandante também colocou Gustavo Scarpa novamente no meio e depois deu chance a Lucas Lima. Esse último teve postura muito melhor em relação aos seus últimos jogos e participou ofensivamente na criação de chances. A questão é saber por quanto tempo ele manterá esse ritmo.

Na quinta-feira, a três dias da final contra o Grêmio, o jogo contra o Atlético-MG já representa um risco maior para esses testes. O time já não tem a certeza da escalação de Gabriel Menino, que se machucou no Brasileirão, e viu Patrick de Paula dar susto na partida de hoje. Felipe Melo também saiu mancando. Promover novos testes parece uma tarefa arriscada, ainda mais com o cansaço de uma viagem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL