PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Palmeiras foi dominado pelo Tigres e só não perdeu de mais por ter Weverton

Abel Ferreira acompanha o Palmeiras na partida contra o Tigres na semifinal do Mundial de Clubes - EFE/EPA/NOUSHAD
Abel Ferreira acompanha o Palmeiras na partida contra o Tigres na semifinal do Mundial de Clubes Imagem: EFE/EPA/NOUSHAD
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

07/02/2021 16h55

O Palmeiras jogou muito mal e mereceu ser derrotado pelo Tigres na semifinal do Mundial neste domingo (7). Abusando das ligações diretas e extremamente ansioso, o time brasileiro só não perdeu de mais porque tem Weverton no gol, que fez três excelentes defesas ainda no primeiro tempo.

O goleiro, aliás, é um dos poucos que merece elogios pela partida disputada no Qatar, assim como Gustavo Gómez, que foi seguro. Gabriel Menino e Zé Rafael estiveram apagados e erravam até domínios relativamente simples, assim como Raphael Veiga, que não acertou uma jogada em profundidade. Danilo era o melhor do meio-campo, mas foi substituído por Abel Ferreira mesmo assim para a entrada de Felipe Melo.

Luan fez pênalti bobo, em mais um dos exemplos de nervosismo pelo lado palmeirense. O excesso de impedimentos é outro indicativo da ansiedade que os atletas do time brasileiro deixavam na cara. Antes mesmo dos 30 minutos do 2º tempo, já eram sete vezes em que algum palmeirense estava adiantado. Luiz Adriano quase não foi acionado, e Rony errou praticamente tudo o que tentou.

Esse é mais um jogo da sequência em que o Palmeiras apresenta um desempenho muito abaixo do ideal. Já havia sido assim contra o Santos, na final da Libertadores, quando nenhum dos times jogou bem e um gol nos acréscimos definiu o campeão. Também foi assim em outras partidas recentes, como contra o Flamengo, Ceará, Vasco e Botafogo, pelo Brasileirão.

Também é importante destacar que o Tigres jogou muito mais do que havia apresentado contra o Ulsan, da Coreia do Sul, e está, sem dúvida, entre os adversários mais difíceis que um sul-americano já encarou em uma semifinal de Mundial.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL