PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Baile do Inter evidencia falta de espírito de campeão para o São Paulo

Fernando Diniz comanda o São Paulo em jogo contra o Internacional pelo Brasileirão - Marcello Zambrana/AGIF
Fernando Diniz comanda o São Paulo em jogo contra o Internacional pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

20/01/2021 23h21

O São Paulo cumpre um roteiro inacreditável para perder o título do Campeonato Brasileiro. A derrota por 5 a 1 para o Internacional hoje em pleno Estádio do Morumbi foi a mais acachapante da sequência e a que deixou bem claro que falta uma das qualidades mais importantes para time de Fernando Diniz nesta reta final: espírito de campeão.

É dispensável dizer que o nível de futebol também caiu em relação ao período em que o time conseguiu abrir uma distância na liderança, mas o que mais chama a atenção ao assistir aos jogos do Tricolor é que o time não joga como se quisesse ser campeão.

Falta vontade na marcação, falta acreditar na bola que já está perdida, falta jogar como se fosse o último jogo da vida. Alguns atletas parecem nem se incomodar com a derrota durante os 90 minutos. É impossível jogar as 38 partidas no mais alto nível, mas todos os últimos campeões, inclusive o Flamengo de Jorge Jesus, conseguiram compensar a queda técnica em determinado momento com a força de vontade.

Chama a atenção que esse não é um diagnóstico desconhecido da comissão técnica. Fernando Diniz não para de gritar por um momento na beira do gramado e às vezes parece ser a pessoa do campo com mais vontade de ganhar. Márcio Araújo, seu auxiliar, disse à Globo, inclusive, que um dos pedidos no intervalo do jogo de hoje foi "jogar como campeão".

O São Paulo foi eliminado da Copa do Brasil e da Libertadores e não pode nem colocar na carga física a culpa pela queda. O time do Morumbi também não teve um surto de covid que prejudicou muitos atletas de uma vez só.

É possível que a seca de títulos pressione ainda mais o time do Morumbi na busca pela vitória. Mas mesmo toda essa pressão não pode ser suficiente para justificar uma goleada deste tamanho em jogo que vale a liderança do Nacional. O elenco tem muitos jovens, mas também tem atletas que já têm rodagem o suficiente para tentar uma correção de rumo. A questão é que hoje ela parece improvável.