PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Até quando Daniel Alves será titular absoluto de Diniz no São Paulo?

Daniel Alves lamenta lance de Grêmio x São Paulo, jogo da Copa do Brasil 2020 - Fernando Alves/AGIF
Daniel Alves lamenta lance de Grêmio x São Paulo, jogo da Copa do Brasil 2020 Imagem: Fernando Alves/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

17/01/2021 17h54

É absolutamente normal que jogadores tenham altos e baixos. Mas não podemos considerar normal que um atleta que esteja em uma fase ruim não seja questionado e não perca espaço na equipe. Hoje, foi a vez de Daniel Alves ter mais uma atuação ruim no empate por 1 a 1 com o Athletico.

O meio-campista voltou a ser um dos atletas que teve mais perda de bola registradas nas estatísticas do Sofascore. Aos 30 minutos do 2º tempo, ele já havia dado 14 bolas nos pés dos adversários. Até o fim do jogo, ainda perdeu mais três. No meio-campo, ele também colabora pouco na marcação. Em 90 minutos, ele desarmou apenas duas vezes.

Diante do Red Bull Bragantino e do Santos, Daniel teve erros decisivos para as vitórias dos rivais. Contra o time do interior, ele perdeu outras 14 bolas com apenas três desarmes e, no confronto com a equipe da Baixada, foram 16 bolas perdidas e nenhum desarme. Em ambos os jogos, ele teve erros crassos que terminaram em gols. Na ocasião, Diniz foi até cobrado, mas disse que "só erra quem tenta".

Até quando? Daniel Alves é um dos melhores laterais da história do país. Para muitos, o melhor. É o mais vitorioso do futebol nacional, tem experiência relevante para um grupo repleto de jovens como o Tricolor, mas não pode ser intocável.

Outro fator que pesa é o custo-benefício do jogador. Mais uma vez é importante frisar que o atleta tem méritos por ter um bom salário e não tem culpa se os dirigentes entenderam que poderiam arcar com todo o pacote. Mas em um momento de crise financeira, ter um atleta que ganha tanto e produz pouco pesa ainda mais na balança.

O torcedor pode até comemorar aliviado o gol de empate de Tchê Tchê, mas o resultado não é bom para um time que briga pelo título do Brasileirão. Com o resultado, o Tricolor não consegue se afastar de Grêmio e Palmeiras, que empataram na sexta, e ainda pode ver outros rivais se aproximarem na rodada.