PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Revés do Palmeiras é ruim para tabela, mas aceitável por situação de jogo

Mayke é expulso após entrada dura em Palmeiras x Goiás, pelo Brasileirão - Heber Gomes/AGIF
Mayke é expulso após entrada dura em Palmeiras x Goiás, pelo Brasileirão Imagem: Heber Gomes/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

21/11/2020 22h55

A derrota por 1 a 0 neste sábado com o Goiás é péssima para efeito de tabela para o Palmeiras. Não é aceitável para um time que tem pretensões de brigar pelas primeiras colocações do Brasileirão perder cinco pontos para um adversário que luta contra o rebaixamento. Basta lembrar que no 1º turno, quando os goianos estavam afetados pela covid, a equipe paulista ficou no empate em São Paulo.

Mas para as circunstâncias que a equipe de Palestra Itália viveu para a partida de hoje, o resultado é aceitável. Com mais de 20 desfalques, a equipe de Abel Ferreira ainda teve Mayke expulso no primeiro tempo e, mesmo assim, conseguiu ameaçar o adversário. Foi sofrer o gol nos acréscimos.

Tudo isso dentro da coerência adotada pela diretoria desde o episódio do jogo contra o Flamengo. Se na ocasião lutou para que a partida ocorresse mesmo com o surto no adversário, agora, aceitou sem reclamar que precisaria entrar em campo esfacelado pela pandemia.

Como prometido pelo português, o time paulista faria mudanças táticas no decorrer das partidas, mesmo com pouco tempo de treino. Só assim ele conseguirá propor as mudanças para que a equipe mantenha a sua evolução desde a saída de Vanderlei Luxemburgo.

Hoje foi assim. O Palmeiras entrou em campo com o 3-5-2, com a linha defensiva formada por Gustavo Gómez, Emerson Santos e Renan e mostrou segurança. Mesmo com algumas adaptações nas movimentações ainda a serem assimiladas, o time teve um bom início, com mais volume de jogo e terminou os 45 minutos finalizando mais.

Depois, já sem Mayke que havia sido justamente expulso, o time atuou no segundo tempo ainda conseguindo impor um bom ritmo de jogo e, mesmo com menos posse de bola, finalizou mais e melhor.

O resultado não é bom para a soma dos pontos no término do Nacional, mas é certo que o desempenho será aprovado por boa parte da torcida e mantém a confiança em alta para a partida de quarta-feira, pelas oitavas de final da Libertadores, contra o Delfín.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.