PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Galiotte diz entender torcida, mas justifica silêncio na busca por técnico

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras - Cesar Greco
Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras Imagem: Cesar Greco
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

28/10/2020 11h56

Com Thiago Ferri, do UOL, em São Paulo

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, diz compreender a aflição do torcedor em relação ao nome que substituirá Vanderlei Luxemburgo, mas explica que não abrirá mão de alguns conceitos básicos para fechar com o novo técnico.

Em contato com o blog, o dirigente preferiu não dar prazo para o fim da novela e disse que entende que agora é a hora de insistir no projeto idealizado por ele e seus companheiros de diretoria. Vale lembrar que, em novembro de 2019, ele usou esse mesmo discurso, mas acabou fechando com Vanderlei Luxemburgo. Agora, ele afirma que vai ser diferente.

"Eu entendo a ansiedade do torcedor, entendo que eles querem saber o novo nome. Mas não posso abrir mão do projeto, do conceito, de ideias que temos do que o Palmeiras precisa. É um modelo de jogo, não necessariamente só um estilo, e precisa saber trabalhar com a base. Estamos trabalhando muito para fechar e preciso fazer isso em silêncio", afirmou o cartola.

Galiotte ainda não quis comentar sobre um nome de maneira específica. Ele ainda reiterou o que dirigentes do Palmeiras afirmam desde ontem à noite, quando jornalistas argentinos afirmaram que Heinze disse não ao convite do Alviverde.

"Não tomamos não de ninguém. Nós não tomamos não nem do Miguel, porque ele topou trabalhar com a gente, mas precisava de um tempo para isso. Não fizemos outras propostas e não tomamos não", finalizou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.