PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Presidente do Fortaleza conta segredos de Ceni e sonha com renovação

Marcelo Paz, presidente do Fortaleza - Gustavo Simão/Fortaleza EC
Marcelo Paz, presidente do Fortaleza Imagem: Gustavo Simão/Fortaleza EC
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

20/10/2020 04h00

Sensação do Brasileirão e apontado por alguns como o melhor técnico do país, Rogério Ceni conta com a admiração e o apoio irrestrito de Marcelo Paz. Em entrevista ao blog, o presidente do Fortaleza revelou alguns dos segredos do técnico e não escondeu o sonho de continuar com ele por muito mais tempo.

Paz detalhou como Ceni participa do dia a dia do clube, dando palpites até mesmo na evolução da estrutura do clube e disse como se sente cada vez que vê o nome do ex-goleiro em especulações para outras equipes que demitiram seus comandantes.

O cartola ainda comentou como tem enfrentado os impactos econômicos da pandemia, como foi a participação do Fortaleza no Movimento do Futebol Mas Livre e revelou sondagens para virar executivo em outro clube após o término do seu mandato, em 2021.

Confira a entrevista completa de Marcelo Paz ao blog:

Danilo Lavieri: O que faz o Rogério Ceni ser diferente dos outros treinadores?
Marcelo Paz:
Só de ele ficar três anos no Fortaleza mostra que é diferente. Na hora que fui trazer, muita gente achou que ele não vinha e ele veio. Fez um primeiro ano, começamos sem vencer, e o trabalho foi mantido, como tinha que ser, e fomos campeões da Série B. Todo mundo falando que ele ia sair e ficou com a gente mesmo assim. Em 2019, fizemos o maior ano esportivo do clube, com Copa Sul-Americana e todo mundo achando que o Ceni ia embora de novo. Isso mostra que ele é diferente. Ele acredita em projeto, prega algo que faz de verdade. A primeira conversa que tive com ele, na casa dele em São Paulo, ele repetiu algumas vezes: 'eu preciso de um ano de trabalho. Me aguente um ano que eu dou resultado'. E nós cumprimos essa promessa. E está aí a permanência dele. Isso mostra a diferença dele para os outros.

Rogerio Ceni comando o time do Fortaleza na partida contra o Santos - Fernanda Luz/AGIF - Fernanda Luz/AGIF
Imagem: Fernanda Luz/AGIF

E no dia a dia? O que ele faz melhor que os outros?
Marcelo Paz:
No dia a dia ele é muito bom mesmo. Você pode conversar com os jogadores: o Rogério não repete treino. Tem uma dinâmica de treino absurda. Ele estuda para dar treino, monta o treinamento diferente e trabalha sempre com bola. A pré-temporada dele também é sempre com bola, integrada com preparação física e tudo mais, mas sempre com métodos modernos. Ele é muito corajoso. Por várias vezes, ele fez escalações que fugiam do normal e deu resultado. Chegando ao ponto que o próprio torcedor não se impressiona mais com nenhuma escalação. O torcedor já quebrou a cara tantas vezes depois de reclamar de alguma coisa, e o time ia lá e ganhava. Essa coragem dele e a estratégia fazem dele uma pessoa diferente.

Como é ver o nome do Ceni como candidato em qualquer time que demite o treinador? Irrita ou ao menos é um reconhecimento?
Marcelo Paz
: São as duas coisas. As pessoas falam que querem o Rogério e para onde o Rogério deve ir. É que eles estão vendo agora o que a gente viu há mais tempo. É gratificante. Às vezes, como as coisas são colocadas, me parece até desrespeitoso, como se fosse problema ele ficar aqui, como se por qualquer encanto ele fosse sair. Mas não é assim. E ele está empregado. Do jeito que falam, parece que o Fortaleza é só uma passagem, um trampolim, mas na verdade ele está aqui há três anos. Não é trampolim. É algo definitivo, sólido e estável. Mas o interesse é natural, porque ele faz um grande trabalho. E antes de tudo ele é o Rogério Ceni, sempre foi respeitado, tido como vencedor, como pessoa séria. É natural que as pessoas coloquem, mas a forma pode ser mais respeitosa.

E você já pensou como segurar o Ceni por mais tempo? Já falou com ele sobre renovar?
Marcelo Paz:
A gente não conversa formalmente sobre isso e nem é hora. Mas eu já declarei várias vezes publicamente e para ele que quero mais ele aqui. Eu me sinto muito à vontade para estender essa a permanência porque meu mandato vai até 2021. Mas não tenho conversado. O argumento principal para ele ficar não é promessa, é o que ele já conhece, de postura, de coerência, do suporte, de como a gente enxerga o futebol. E um outro argumento é que ele vai ter sempre tudo o que ele pede para a melhoria de clube em relação à estrutura e investimentos em tudo no clube. É algo realmente que convence mais do que só uma promessa.

Rogério Ceni, durante partida entre Fortaleza e Corinthians, na Arena Corinthians - MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A gente sempre ouve que ele participa dando palpites até na questão da estrutura, né?
Marcelo Paz
: Ele é apaixonado por futebol, ele conhece o futebol nos mínimos detalhes, não só campo e escalação. Ele conhece de estrutura, alimentação, gramado, logística, de conforto do jogador. E a gente está aproveitando essa experiência dele. Eu gosto de contratar pessoas que são melhores do que eu nos assuntos. Não vou dizer o que eles vão fazer, eles que são os especialistas. O Ceni teve liberdade em reformar o CT, indicar como era o vestiário, o local do vestiário, o tamanho da academia... Até no tamanho do assento do vestiário e no mobiliário ele participou. E sempre que ele tem tempo livre ele vai ver a obra, acompanha tudo o que pode. Ele tem uma sinergia, uma integração com a gente. E ele é assim com todo mundo, no dia a dia do clube.

Falando do Fortaleza, como vocês controlam o impacto financeiro da pandemia?
Marcelo Paz:
O impacto já veio. A previsão é de diminuir a receita em R$ 20 milhões. Perdemos uns 12 a 13 mil sócios, e o Fortaleza é um clube que boa parte da receita está ligada ao torcedor. Os produtos que eles compram, o sócio-torcedor.. E com os jogos sem público a gente deixou de arrecadar bastante. Até pelo bom momento do clube, o estádio ia lotar. Mas tem que se adaptar, ter criatividade, entender que é um momento diferente.

E o que você considera um bom resultado no Brasileirão?
Marcelo Paz:
Classificar para a Sul-Americana para gente é sensacional. Jogamos a Sul-Americana, gostamos da competição, pegamos gosto de conhecer lugares, de viajar, e a torcida se envolveu muito. A gente gostaria muito da Sul-Americana. E aí estar na primeira parte da tabela, entre os 10 primeiros é sempre muito bom.

David comemora gol do Fortaleza contra o Palmeiras - KELY PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO - KELY PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: KELY PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Fortaleza apoiou o Futebol Mais Livre, mas a MP do mandante caducou. O que fazer para trazer o assunto de volta à tona?
Marcelo Paz
: A gente participou ativamente, desde o início da campanha, com presença, discussão, posts em redes social e marca na camisa. A gente acha que é algo bom para o futebol, nada contra ninguém, nada contra empresa A ou B e nem a favor de A ou B. A gente acha que é bom para o produto futebol. Infelizmente, foi antidemocrático como caducou a MP, porque não foi nem votada. Eu espero que algum projeto semelhante volte à tona.

Recentemente ouvi seu nome cogitado para o cargo de executivo em outro clube. Isso procede?
Marcelo Paz:
Dois clubes conversaram comigo, mas não da atual gestão dos clubes. Foram pessoas que tinham interesse no meu trabalho para participar da gestão do futebol. Mas são pessoas que faziam projeto para concorrer nas eleições e eu não posso falar quais são. As eleições ainda não foram. Fiquei feliz, envaidecido, mas ninguém sabe se vai acontecer. Meu foco agora é terminar o mandato.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.