PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras volta a analisar nome de Miguel Ramírez para substituir Luxa

Miguel Ángel Ramírez, técnico do Independiente del Valle - Cristina Vega Rhor/AFP
Miguel Ángel Ramírez, técnico do Independiente del Valle Imagem: Cristina Vega Rhor/AFP
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

15/10/2020 14h20

O nome de Miguel Ángel Ramírez, do Independiente Del Valle, volta a estar entre os cotados para assumir o cargo de treinador do Palmeiras. O espanhol já havia sido analisado no fim do ano passado, mas a diretoria preferiu contratar Vanderlei Luxemburgo, demitido ontem após a derrota para o Coritiba no Allianz Parque.

O europeu tem o modelo de jogo que agrada a Maurício Galiotte e Anderson Barros e ainda "leva vantagem" na concorrência porque já tem o perfil traçado desde dezembro de 2019, quando houve a demissão de Mano Menezes.

É importante dizer, no entanto, que não há apenas um favorito. Vários nomes estão sendo analisados. Presidente e diretor de futebol já receberam dezenas de contatos e ofertas de técnicos.

O estilo de trabalho de Ramírez já havia sido aprovado anteriormente, mas as conversas não avançaram porque houve resistência entre conselheiros, especialmente do Conselho Gestor, que é o grupo composto por vices e diretores mais próximos a Galiotte. Na época, a crítica era pela falta de experiência. Por isso, optou-se por Vanderlei Luxemburgo, mesmo que o estilo de jogo dele não fosse o buscado pelo clube.

Ramírez ainda tem longa experiência com categorias de base, mas a sua contratação pode ser dificultada pelo receio que o técnico tem da cultura brasileira de troca de comandantes.

Galiotte voltou a prometer que será estritamente técnico na escolha e avaliará o estilo de jogo. Em sua coletiva, o presidente citou até o estilo de transição que gostaria de ver no time. Não há prazo para que o negócio seja fechado.

Siga também Danilo Lavieri no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.