PUBLICIDADE
Topo

Quais os próximos passos do STJD para decidir sobre Palmeiras x Flamengo

Gabriel Barbosa e Felipe Melo disputam bola em Palmeiras x Flamengo disputado em dezembro de 2019 - Bruno Ulivieri/AGIF
Gabriel Barbosa e Felipe Melo disputam bola em Palmeiras x Flamengo disputado em dezembro de 2019 Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

25/09/2020 11h30

Com o pedido do Flamengo para que a partida seja adiada, o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) agora tem um protocolo para seguir e tomar a decisão se o jogo contra o Palmeiras, no próximo domingo, às 16h, será mantido.

O Tribunal já deu 24 horas para que a CBF se manifeste a aponte os motivos da negativa ao clube carioca. Com a assinatura do diretor de competições, Manoel Flores, a entidade que cuida do futebol nacional mandará os mesmos argumentos que enviou ao Flamengo.

O principal deles é a isonomia. Outros pedidos de adiamento por surto de covid, como o publicado por esse blog da Caldense, já foram analisados e foram negados. Além disso, a CBF argumenta que o Flamengo tem como preencher o seu elenco, apesar dos 16 desfalques pela doença e outros lesionados.

Para inscrever no Brasileirão, o time da Gávea precisa apenas escolher atletas de suas categorias de base que já estejam no BID (Boletim Informativo Diário) e informar a CBF que eles disputarão o Nacional.

Não há burocracia como no caso de contratações de atletas de outros times, quando os envolvidos precisam enviar documentos, contratos e esperar a publicação no sistema da CBF até um prazo específico antes do jogo.

O fato de o Flamengo ter time para jogar na próxima semana pela Libertadores também influencia na decisão.

O STJD ainda tem como recomendável ouvir outros interessados no seu julgamento. Neste caso, seria o Palmeiras, que já manifestou que é contra o adiamento da partida. É importante destacar, no entanto, que ouvir o time paulista é uma opção do Tribunal e não uma obrigação.

No caso entre Caldense e Brasiliense, o STJD ratificou a decisão da CBF e concordou com os argumentos apresentados. A expectativa dos especialistas em direito desportivo é que essa decisão seja mantida.

Ainda usando o caso da Série D como exemplo, o STJD ratificou a realização da partida no mesmo dia do jogo e um dia depois da decisão emitida pela CBF.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.