PUBLICIDADE
Topo

Após vexame, Barcelona libera apresentação antecipada de Arthur na Juventus

Arthur, ex-Barcelona, durante a apresentação na Juventus - Divulgação
Arthur, ex-Barcelona, durante a apresentação na Juventus Imagem: Divulgação
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

15/08/2020 10h33

Depois de ser humilhado pelo Bayern de Munique na Liga dos Campeões, o Barcelona oficializou hoje (15) para o estafe de Arthur que ele está liberado para se apresentar a Juventus de forma antecipada.

Como mostrou o blog, a equipe italiana entrou em contato com os catalães e apostou em um acordo de cavalheiros para que o meio-campista já começasse a temporada com seus companheiros no próximo dia 24 e não só no início de setembro, como previa originalmente o contrato.

O jogador tem a sua família resolvendo a mudança da Espanha para a Itália e também já havia visitado Turim para escolher onde morar. A venda dele foi fixada em 72 milhões de euros, quase R$ 463 milhões, e ainda pode render 10 milhões de euros extras de acordo com metas.

O Barcelona travou a saída de Arthur por entender que o jogador havia desrespeitado o clube ao não se reapresentar no fim de julho após a folga que o time ganhou depois da disputa do Espanhol. Nos últimos dias, advogados do atleta se reuniram com a diretoria do time para tentar o acordo, mas não obtiveram sucesso.

Ao mesmo tempo que não queria liberar o jogador, o Barcelona impedia o atleta de ficar com o elenco durante a disputa da Liga dos Campeões. Ele não pôde ficar nem nas arquibancadas para acompanhar ao jogo com o Napoli.

Além de encerrar essa polêmica, Arthur agora espera que o retorno antecipado aos treinos o ajude a ser lembrado novamente pela seleção. Com a situação indefinida, ele corria risco de não ser chamado por Tite na convocação feita em setembro para a disputa das Eliminatórias em outubro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.