PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras chega ao limite em negociação e aguarda resposta de Gustavo Gómez

Gustavo Gómez celebra gol marcado pelo Palmeiras contra o Mirassol - Alan Morici/AGIF
Gustavo Gómez celebra gol marcado pelo Palmeiras contra o Mirassol Imagem: Alan Morici/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

18/07/2020 13h37

A interminável novela para assinar um novo contrato com o Palmeiras ainda perdura com Gustavo Gómez. A diretoria do time paulista, apurou o blog, chegou ao limite nas negociações com o zagueiro e agora aguarda uma resposta do paraguaio.

Na visão de pessoas que participam da negociação, o defensor está querendo mudar o que já estava estabelecido em contrato. A palavra "estratosférica" é usada por mais de uma pessoa que o blog conversou para definir o que quer o atleta da seleção paraguaia. O Alviverde, inclusive, já cedeu um pouco nas negociações, mas classifica o salário pedido por Gustavo como "de time de ponta da Europa".

Na época da contratação, o Palmeiras estabeleceu o modelo de negócio com o Milan, com empréstimos sucessivos até uma assinatura em definitivo, por políticas de fair-play financeiro da equipe italiana. Não à toa, apesar de sempre registrá-lo por empréstimo no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, o clube sempre considerou o atleta como seu ativo definitivo até junho de 2024. O ex-diretor Alexandre Mattos já deu mais de uma entrevista afirmando que o atleta havia sido comprado.

Neste contrato, está previsto um aumento anual na remuneração, mas Gustavo pede ainda mais do que diz o documento. E é aí que está o impasse, que até gera um pouco de desgaste entre as partes.

O Alviverde já tem o documento de transferência internacional cedido pelo Milan em suas mãos e só não registra Gustavo em definitivo porque o atleta ainda não assinou seu novo vínculo. O time paulista diz estar seguro, afirma que o jogador pertence ao clube com ou sem a assinatura e que não há a possibilidade de uma saída sem uma compensação financeira.

O empresário do atleta já sinalizou que tem proposta de um clube da Rússia, mas nunca apresentou nenhum documento oficial para a diretoria palmeirense. Ele se limita a dizer que a oferta salarial do time estrangeiro é muito melhor do que a apresentada pela equipe de Palestra Itália, o que levanta a suspeita de que isso serve apenas para pressionar a diretoria na negociação.

Gustavo Gómez já não jogaria o clássico de quarta-feira contra o Corinthians porque foi diagnosticado com Covid-19, mas poderia atuar na outra partida da primeira fase, contra o Água Santa, se fosse inscrito até a próxima segunda-feira (20). Com a tendência de isso não ocorrer, ele só poderia voltar a defender o Alviverde no mata-mata.