PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Bala na Cesta


Brasil poderá ficar sem basquete na Olimpíada após 44 anos

Érika - Divulgação CBB
Érika Imagem: Divulgação CBB
Fábio Balassiano

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.

10/02/2020 06h09

Faz mais de 40 anos que o basquete brasileiro não fica totalmente de fora das Olimpíadas - desde Montreal, em 1976, para ser mais exato. E isso pode acontecer nos Jogos de 2020, em Tóquio. Com a eliminação neste domingo da seleção feminina, restam poucas chances para vermos uma equipe nacional no país asiático. E com o agravante que na edição deste ano teremos, pela primeira vez na história, também o basquete 3X3.

Basquete o dia inteiro no Canal do Bala na Cesta no Telegram - vem com a gente!

A seleção feminina de 3X3, aliás, já está eliminada e não atuará na estreia do programa nos Jogos. As esperanças para Tóquio ficam, agora, com as duas seleções masculinas, algo não tão comum para a modalidade que nos últimos anos viu as meninas brilharem, participando de todas as edições desde 1992 (os rapazes voltaram a participar, depois do hiato pós-Atlanta, em 1996, apenas em 2012, em Londres).

A seleção masculina de 3X3 disputa o Pré-Olímpico Mundial em março na Índia junto a outras 23 seleções, que estarão divididas em três grupos. São apenas três vagas disponíveis e as perspectivas não são das maiores. Na quadra, a chance do time do técnico Aleksandar Petrovic tampouco é gigante. A equipe jogará o dificílimo Pré-Olímpico Mundial na Croácia e enfrentará os donos da casa e a Tunísia na primeira fase. Dois avançam e enfrentam os dois melhores da chave que conta com Alemanha, México e Rússia. Os quatro mais bem colocados se enfrentam na semifinal, o ganhador vai à final e apenas o campeão do Pré-Olímpico que começa em 23 de junho jogará em Tóquio.

Divulgação CBB
Imagem: Divulgação CBB

Nos Jogos Olímpicos de Montreal de 1976 nem a seleção masculina e nem a feminina se classificaram para as Olimpíadas (foi a primeira vez que houve basquete das meninas no programa dos Jogos inclusive). Entre 1980 e 1988, apenas a dos rapazes se fez presente. Em 1992 e 1996, as duas foram e a feminina conseguiu a prata em Atlanta. Em 2000 (bronze), 2004 (quarta colocação) e 2008, apenas a das meninas. E nas duas últimas edições, em 2012 e 2016, os dois times estiveram presentes.

A situação do basquete por aqui já foi melhor, como se vê.

Bala na Cesta