PUBLICIDADE
Topo

André Rocha

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Everton Cebolinha já é fundamental para o Flamengo antes de entrar em campo

Contratado como craque, Everton Cebolinha é hoje reserva do Benfica - Carlos Rodrigues/Getty Images
Contratado como craque, Everton Cebolinha é hoje reserva do Benfica Imagem: Carlos Rodrigues/Getty Images
só para assinantes
André Rocha

André Rocha é jornalista, carioca e colunista do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros "1981" e "É Tetra". Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Contato: anunesrocha@gmail.com

Colunista do UOL Esporte

18/06/2022 10h27

Começou a janela "europeia" do Flamengo, com contratações a partir de junho.

Também a esperança de ser mais feliz do que na anterior, já que Kenedy voltou para o Chelsea sem grande contribuição, David Luiz não correspondeu até aqui as expectativas e Andreas Pereira voltará ao Manchester United com a maior falha da história do futebol do clube.

Everton Cebolinha chega do Benfica por 13,5 milhões de euros, com a negociação podendo chegar a 16 milhões se metas do contrato forem batidas. No time português fez 15 gols e serviu 17 assistências em 95 partidas. Pouco. Objetivamente, o ex-atacante do Grêmio de 26 anos fracassou na Europa.

Mas considerando o nível do futebol jogado no Brasil é contratação de peso, para subir patamar de ataque. Em termos de características, no elenco rubro-negro seria uma reposição à saída de Michael - deve, inclusive, herdar a camisa 19 do hoje atleta do Al Hilal. Velocidade e drible partindo da esquerda em diagonal e a participação ativa sem bola que desenvolveu no Benfica.

A grande questão é que Cebolinha só poderá entrar em campo a partir de 18 de julho, quando o período de transferências internacionais for aberto oficialmente.

Muito tempo para quem perdeu Bruno Henrique, com lesão multiligamentar no joelho direito já fragilizado por desgaste e tendinite, provavelmente até o fim da temporada e terá jogos decisivos por Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil nesses 30 dias até a estreia de Everton.

Dorival Júnior terá que trabalhar consistência e regularidade nos inconstantes Vitinho e Lazaro, as opções pela ponta no 4-3-2/4-1-4-1 armado pelo sucessor de Paulo Sousa. Ou tentar mais uma adaptação da dupla Pedro-Gabigol, mas obviamente mudando o sistema tático para o 4-4-2, o que provavelmente sacrificaria De Arrascaeta aberto pela esquerda.

O fato é que o time perde a grande válvula de escape para acelerar as transições ofensivas e ainda a presença de área e os recursos de finalização de Bruno Henrique, inclusive no jogo aéreo. Fundamentais, por exemplo, para os dois duelos contra o ofensivo Atlético de "Turco" Mohamed no Mineirão.

Sem o craque da Libertadores de 2019 e autor dos quatro gols contra o Barcelona de Guaiaquil que colocaram o time na última final do torneio continental, Everton Cebolinha já é peça fundamental para Dorival antes mesmo de entrar em campo. Terá que compensar uma ausência maior que o investimento do Flamengo no seu novo ponta esquerda.

A grande questão é se o time ainda terá algo grande a disputar quando o novo contratado estiver disponível. Se sobreviver nas competições, as perspectivas na temporada caótica até aqui podem mudar radicalmente.