PUBLICIDADE
Topo

André Rocha

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Surreal a eliminação do Inter. Flamengo é favorito absoluto contra Olimpia

Thiago Galhardo lamenta durante Internacional x Olimpia pela Libertadores - Maxi Franzoi/AGIF
Thiago Galhardo lamenta durante Internacional x Olimpia pela Libertadores Imagem: Maxi Franzoi/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
André Rocha

André Rocha é jornalista, carioca e colunista do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros "1981" e "É Tetra". Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Contato: anunesrocha@gmail.com

Colunista do UOL Esporte

22/07/2021 23h56

Foram 17 finalizações, 15 de dentro da área. Duas chances claras com bola rolando, um chute na trave de Taison. Ainda o pênalti duvidoso sobre Taison cobrado por Edenilson e defendido pelo goleiro Aguilar.

O Internacional fez muita força para empurrar para os pênaltis a decisão das oitavas contra o Olimpia no Beira-Rio. Impressionante a capacidade de não decidir um jogo fácil, contra um adversário que levou seis gols na fase de grupos.

O Olimpia se defendeu mal com duas linhas de quatro sem compactação e intensidade. Nem a saída de Patrick para a entrada de Mauricio tirou a fluidez ofensiva do time gaúcho no primeiro tempo. Taison achava com facilidade os espaços às costas dos meio-campistas. Yuri Alberto era o ponta direita do 4-2-3-1 para Galhardo ficar centralizado.

O Inter saiu para o intervalo com 72% de posse, dez finalizações dentro da área, mas apenas três no alvo. A falta de contundência no ataque vai se transformando em um problema crônico.

Com o pênalti perdido, o time de Diego Aguirre entrou em pânico e os paraguaios pareciam não acreditar que ainda estavam vivos na disputa. A disputa, que não era um primor de técnica, ficou medonha, com momentos de pelada. O treinador Sergio Orteman tirou Derlis González da esquerda e colocou no ataque com Pitta. O Olimpia finalizou oito vezes na segunda etapa, totalizando 11. Mas apenas uma no alvo, chute fraco de Orzusa nas mãos de Daniel.

Edenilson abriu a série convertendo, o que parecia um bom suporte emocional para o Inter, mas o adversário também foi preciso. Coube a Thiago Galhardo ser o vilão, isolando a cobrança. Surreal a eliminação do Inter, um dos grandes favoritos desde o sorteio. Não é absurdo, nem menosprezo ao Olimpia afirmar que perderam para si mesmos.

Melhor para o Flamengo, favorito absoluto nas quartas. Só uma hecatombe até agosto tira o campeão de 2019 das semifinais.

(Estatísticas: SofaScore)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL