PUBLICIDADE
Topo

André Rocha

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Copa do Brasil tem favoritos claros nas oitavas. Eis o perigo!

Sorteio das oitavas de final da Copa do Brasil 2021 - Reprodução
Sorteio das oitavas de final da Copa do Brasil 2021 Imagem: Reprodução
André Rocha

André Rocha é jornalista, carioca e colunista do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros "1981" e "É Tetra". Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Contato: anunesrocha@gmail.com

Colunista do UOL Esporte

22/06/2021 16h50

O sorteio das oitavas da Copa do Brasil tinha como maior atrativo a falta de "amarras". Todos poderiam se enfrentar.

Algo que sempre gera a expectativa de um duelo gigante e precoce. Na ausência do campeão Palmeiras, um Flamengo x Atlético-MG, por exemplo, seria um confronto entre times milionários.

Não aconteceu. Pelo contrário. Serão oito confrontos com favoritos bem claros.

São Paulo x Vasco é um grande clássico nacional, mas na prática é o duelo entre um gigante que nunca ganhou o torneio e outro afundado novamente na Série B. Ambos com desempenho muito irregular, sem despertar confiança em suas enormes torcidas. Ainda assim, o tricolor paulista é mais forte.

Atlético-MG x Bahia tem o Galo como a força destacada, pelo elenco caro e homogêneo. É uma das duas disputas de Série A e o Bahia tem cumprido campanha digna no Brasileiro, mas é impossível não tratar o time do artilheiro Gilberto como "zebra".

Athletico-PR x Atlético-GO promete um confronto equilibrado e de bom nível, como o que aconteceu pelo Brasileiro no fim de semana. Os 2 a 1 impostos pelo atual líder do Brasileiro são mais um indício de favoritismo do time paranaense.

Flamengo x ABC é, em tese, o confronto mais desigual. Mesmo com a surpresa do time dos veteranos Wallyson e Ederson contra a Chapecoense com os 3 a 0 em casa, além de eliminar o Botafogo na fase anterior. O bicampeão brasileiro tem obrigação de se classificar com sobras.

O CRB, algoz do Palmeiras na terceira fase, encara o Fortaleza. O time de Vojvoda, mesmo com oscilação natural depois de ótimo início no Brasileiro e sobrar contra o Ceará na terceira fase, precisa se impor e seguir no projeto de fortalecimento no cenário nacional.

O Criciúma vive crise profunda, afundado na Série C. Mas o campeão da Copa do Brasil em 1991 conseguiu o "milagre" de eliminar o América na fase anterior. Ainda assim, é difícil imaginar outro grande feito contra o Fluminense competitivo de Roger Machado.

O Vitória foi mais um time nordestino a eliminar favorito: o Internacional. Pois o destino coloca no caminho dos rubro-negros baianos mais um gigante gaúcho que não vai tão bem. O Grêmio de Tiago Nunes começou mal demais o Brasileiro, mas até os jogos pode estar mais forte. É favorito natural.

Por fim, o Santos de Fernando Diniz em reconstrução deve se impor naturalmente contra o Juazeirense, que mandou para casa o Cruzeiro, maior campeão da competição, mas hoje é um feito que não significa tanto assim.

Tudo parece muito "certinho" e previsível, não? Pois aí é que está o perigo para os gigantes. A fase anterior já mostrou que peso de camisa e folha milionária não garantem muita coisa. Até o final de julho o cenário pode estar bem diferente. E proporcionar duelos eletrizantes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL