PUBLICIDADE
Topo

André Rocha

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Palmeiras, classificado e único brasileiro 100%. Vitória à sua maneira

Veiga (centro) comemora gol do Palmeiras contra o Del Valle ao lado de Luiz Adriano, Luan, Felipe Melo e Rony - Cesar Greco
Veiga (centro) comemora gol do Palmeiras contra o Del Valle ao lado de Luiz Adriano, Luan, Felipe Melo e Rony Imagem: Cesar Greco
André Rocha

André Rocha é jornalista, carioca e colunista do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros "1981" e "É Tetra". Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Contato: anunesrocha@gmail.com

Colunista do UOL Esporte

11/05/2021 23h52

Foi a primeira derrota do Independiente Del Valle como mandante na Libertadores. Nos 2.850 metros de altitude em Quito e a proposta sempre ofensiva, de propor o jogo do time equatoriano, mantendo as ideias de Miguel Ángel Ramírez.

A vitória do Palmeiras é um feito gigante. Ainda mais considerando que agora é o único brasileiro com 100% de aproveitamento no torneio, já que o Flamengo empatou por 2 a 2 no Chile com o Unión La Calera. Classificação garantida e, se Universitário e Defensa y Justicia empatarem em Lima, o atual campeão sul-americano garante o primeiro lugar do Grupo A. E pode novamente lutar pela melhor campanha geral, como fez no ano passado.

Um triunfo à sua maneira. Com 29% de posse de bola, 72% de efetividade nos passes, cinco finalizações contra 21 do mandante. Mas três no alvo, inclusive o pênalti convertido por Raphael Veiga no primeiro tempo. Transição rápida, passe de Patrick de Paula e falta na área sobre Luiz Adriano. Novamente aproveitando os espaços cedidos.

Mais uma vez no 3-1-4-2, com Felipe Melo na vaga de Danilo e mais fixo à frente do trio de zagueiros. Coordenando o movimento das linhas para negar os espaços com impressionante concentração. Foram 15 finalizações do Del Valle de fora da área. Só três com relativo perigo: Murillo, Vite em cobrança de falta e Faravelli.

Bola roubada, passe longo para Rony acelerar. Especialmente depois que Luiz Adriano saiu para a entrada de Danilo Barbosa, repaginando o time de vez no 5-4-1. Ainda assim deu trabalho. Até porque o time equatoriano se expõe demais e não tem defensores que se garantam tanto no mano a mano. E o lento Pellerano segue como meio-campista mais de distribuição que proteção. É liderança importante e tem passe qualificado, mas defensivamente é elo fraco.

Nada que tire o mérito da equipe de Abel Ferreira. Estratégia legítima em missão complicada. Foram 15 desarmes certos, 14 interceptações precisas. Foi para Quito defender e contra-atacar. Volta com três pontos e até a possibilidade de escalar titulares no Paulista se passar pelo Red Bull Bragantino na sexta.

O tal "vexame" virou do avesso. Porque o Palmeiras compete sempre, mesmo no sacrifício. Até quando sofre para respirar. Por isso merece respeito.

(Estatísticas: SofaScore)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL