PUBLICIDADE
Topo

André Rocha

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

17 minutos de Soteldo para lembrar Cuca que Santos ofensivo é sempre melhor

Marcos Leonardo comemora gol do Santos no clássico contra o Corinthians - Fernanda Luz/AGIF
Marcos Leonardo comemora gol do Santos no clássico contra o Corinthians Imagem: Fernanda Luz/AGIF
André Rocha

André Rocha é jornalista, carioca e colunista do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros "1981" e "É Tetra". Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Contato: anunesrocha@gmail.com

Colunista do UOL Esporte

17/02/2021 21h29

Soteldo entrou no intervalo do clássico na Vila Belmiro contra o Corinthians, em jogo adiado da 33ª rodada. Substituiu o jovem volante Ivonei, que formou o meio-campo do Santos com Alison e Sandry. No primeiro tempo de fraco nível técnico, muito pela pausa de 16 minutos por conta da falta de energia elétrica no estádio.

Mas não só. Os times travaram bastante o jogo com faltas, talvez pela tensão do confronto direto pela mais que provável oitava vaga na Libertadores que será aberta por Palmeiras, que já abrira a sétima com o título da Libertadores, e Grêmio, o outro finalista da Copa do Brasil. O Corinthians praticamente no mesmo 4-2-3-1 da derrota para o Flamengo por 2 a 1, no Maracanã. Tentando acelerar pela direita com Gustavo "Mosquito", mas sentindo a ausência de Fagner, suspenso pelo terceiro amarelo.

Bastaram 17 minutos para Soteldo incendiar o jogo com a movimentação pela esquerda com Lucas Braga. Alternando na ponta e por dentro. Marinho do lado oposto e Marcos Leonardo, o substituto do lesionado Kaio Jorge. A dinâmica ofensiva presente nos melhores momentos do alvinegro praiano na temporada. A mesma que Cuca abriu mão durante 72 minutos na final da Libertadores contra o Palmeiras no Maracanã.

Na Vila, em nove minutos foram duas chances dentro da área, com Lucas Braga e do próprio Soteldo, mais um chute de fora de Alison. E o gol da vitória, com jogada do venezuelano, assistência de Marinho e o garoto Marcos Leonardo empurrando para as redes.

O camisa dez sentiu e Cuca colocou Jean Mota. O Santos seguiu atacando e só recuou na tentativa de "abafa" do Corinthians no final, mas com jogo controlado. Terminou com 46% de posse, as mesmas 11 finalizações do Corinthians, mas cinco a quatro no alvo. A diferença foi o gol da vitória - a sétima consecutiva nos confrontos na Vila. Ou o tempo com o "cometa" Soteldo em campo.

Para lembrar a Cuca que o Santos ofensivo é sempre melhor. É histórico, está no DNA. Para sorte do treinador que se despede do clube com a possibilidade de voltar ao torneio continental, ainda que nas fases anteriores à de grupos. Com o triunfo, abre três pontos sobre o Athletico-PR, o 9º colocado. Era possível voltar como campeão, mas ainda dá tempo de salvar uma temporada confusa dentro e fora de campo.

(Estatísticas: SofaScore)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL