Alicia Klein

Alicia Klein

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
OpiniãoEsporte

Palmeiras e Leila respeitaram Dudu; ele é que não soube ser ídolo

Na entrevista de hoje ao Redação SporTV, Leila Pereira mandou um recado a Dudu e a todos os atletas do Palmeiras, atuais e futuros: Pensem bem antes de assumir um compromisso com este clube. Somos profissionais e levamos contratos a sério. Isso aqui não é bagunça.

O ponto chave desta novela é o fato de que Dudu pediu para sair.

Depois de nove meses se recuperando de uma lesão, quando estava prestes a finalmente reforçar a equipe, ele disse que não queria ficar. Seu empresário foi, então, buscar uma proposta para transformar esse desejo em realidade.

O Palmeiras respeitou seu desejo e avaliou a proposta do Cruzeiro de maneira profissional: era um ótimo dinheiro por um atleta de 32 anos, caro e que, sobretudo, queria sair.

Leila deveria ter implorado para que ele ficasse? Ou, depois de mobilizar meio mundo para costurar o acordo que ele buscou e que era vantajoso para o clube, aceitar que ele simplesmente mudou de ideia e voltar atrás em tudo? Que mensagem isso manda ao elenco e ao mercado?

O Cruzeiro errou grosseiramente ao anunciar a transferência de surpresa, sem alinhar com o Palmeiras, pegando a torcida alviverde no susto. Mas se Dudu ficou surpreso com a reação dessa torcida, ele é que não sabe o que significa para o clube. Foi ele quem não soube ser ídolo.

Resta a Dudu agora agir como profissional, minimizar o estrago e honrar o compromisso que ele assumiu com dois clubes fundamentais na construção da sua história. Esperar que ambos finjam que nada aconteceu, simplesmente porque ele não soube prever as consequências do seu movimento, é irresponsável. Para não dizer infantil.

Siga Alicia Klein no Instagram e no Twitter

Leia todas as colunas da Alicia aqui

Continua após a publicidade
Siga o UOL Esporte no

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes