PUBLICIDADE
Topo

Alicia Klein

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Com bike de Rony e sem soberba, Palmeiras histórico faz 8 a 0 no agregado

Jogadores do Palmeiras comemoram gol do zagueiro Gustavo Gómez contra o Cerro Porteño, pelas oitavas da Libertadores - Cesar Greco
Jogadores do Palmeiras comemoram gol do zagueiro Gustavo Gómez contra o Cerro Porteño, pelas oitavas da Libertadores Imagem: Cesar Greco
só para assinantes
Alicia Klein

Alicia Klein tem quase 20 anos de mercado esportivo em posições de liderança no Brasil e no exterior. Escreveu a biografia de Michael Schumacher, trabalhou na NFL, no universo olímpico e no da Copa do Mundo. Decidiu que é hora de falar sobre misoginia, racismo, trabalho infantil e tudo que o esporte aceita em nome dos resultados dentro e fora de campo.

06/07/2022 21h20

Primeiro de tudo, saiu o gol de Ronybikeson! O quinto gol do Palmeiras na goleada de hoje, o 33º na Libertadores 2022 e o 18º de Rony pelo Alviverde na competição.

Depois dos 3 a 0 em Assunção, o Palmeiras atropelou o Cerro Porteño em 5 a 0.

Com a vitória fora de casa, e aproveitando para poupar jogadores diante de um calendário intenso, um Brasileirão mais apertado e uma decisão difícil pela Copa do Brasil, o Palmeiras entrou em campo com: Weverton, Mayke, Luan, Gómez e Piquerez; Danilo, Gabriel Menino e Raphael Veiga; Dudu, Navarro e Wesley.

O início do primeiro tempo foi de alguns espaços e poucas chances reais de gol, com arrancadas de Dudu e Wesley, e uma ou outra oportunidade com Aquino, pelo time paraguaio. Mas, mais uma vez, muita dificuldade no último passe palmeirense.

Em 25 minutos de partida, as estatísticas apontavam apenas um chute no gol, somando ambas as equipes.

Uma primeira etapa quase tão morna quanto a do jogo de ida, em Assunção.

Então, aos 34 minutos, Rony entrou no lugar de Rafael Navarro, com uma lesão na coxa, e em menos de um minuto perdeu um gol incrível. Em ótima transição, Veiga tocou para Wesley na esquerda, que cruzou para Rony desperdiçar, dentro da pequena área.

Na sequência, aos 36, Gómez subiu para cabecear uma linda bola de Veiga, depois de mais uma jogada ensaiada de escanteio, mas foi Samudio quem tocou contra o próprio patrimônio: Palmeiras 1 a 0.

No intervalo, Abel trocou o amarelado Gabriel Menino por Zé Rafael. Aos 17 minutos, o Trem cruzou na cabeça de Raphael Veiga, que cabeceou no travessão. Logo depois, Jean salvou o Cerro em mais um bom contragolpe de Wesley.

Veiga, em ótima noite, e Dudu saíram aos 23 para as entradas de Atuesta e Breno Lopes.

Em um lance que saiu dos pés de Weverton, Rony recebeu cruzamento de Mayke e marcou seu 17o gol pelo Palmeiras na Libertadores. Menos de dois minutos depois, em jogada de Atuesta e Rony, Breno Lopes ampliou: 3 a 0.

Aos 33, sem Veiga e Scarpa para bater escanteio, Wesley assumiu a função e meteu na cabeça do zagueiro artilheiro. Gustavo Gómez, 4 a 0.

Aí chegou o momento que todos esperavam: o gol de bicicleta do artilheiro histórico do Palmeiras em Libertadores. Rony recebeu de Breno Lopes e fez história no Allianz Parque: 5 a 0.

Terminou assim: 8 a 0 no agregado, fora os bailes (de segundo tempo).

Depois das 32 finalizações para nenhum gol contra o Athletico, o Palmeiras voltou a mostrar que é letal na Libertadores Se as apostas nos atacantes Flaco López e Miguel Merentiel derem certo, o time deve chegar ainda mais perigoso às quartas de final, contra o Atlético-MG.

E é bom que chegue porque a janela de transferência do próximo dia 18 pode mudar a cara do futebol brasileiro.