PUBLICIDADE
Topo

Alicia Klein

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O que Scarpa e Benítez provam sobre o futebol

Hernán Crespo, técnico do São Paulo, durante a partida contra o Palmeiras - Mauro Horita/São Paulo FC
Hernán Crespo, técnico do São Paulo, durante a partida contra o Palmeiras Imagem: Mauro Horita/São Paulo FC
Conteúdo exclusivo para assinantes
Alicia Klein

Alicia Klein tem quase 20 anos de mercado esportivo em posições de liderança no Brasil e no exterior. Escreveu a biografia de Michael Schumacher, trabalhou na NFL, no universo olímpico e no da Copa do Mundo. Decidiu que é hora de falar sobre misoginia, racismo, trabalho infantil e tudo que o esporte aceita em nome dos resultados dentro e fora de campo.

11/08/2021 15h21

Não bastou o sobe-e-desce do Brasileirão. O Messi no PSG. A volta com tudo da Libertadores. O clássico regional. Nada disso tirou meu vazio olímpico.

Mas como não me pagam para ficar na janela esperando 2024 chegar, cá estou, falando novamente sobre o esporte número 1 do Brasil.

A corneta.

A disparidade nas análises da partida de ontem entre São Paulo e Palmeiras foi a prova mais recente de que opinião é que nem vacina: cada um toma a sua e ninguém se machuca.

Sério, deem uma olhada nas manchetes. Teve comentarista achando que o tricolor dominou. Outros, que o Palmeiras foi mais "agudo", termo da moda. Nem parece que todas e todos assistimos ao mesmo duelo.

O topo do pódio ficou com a cornetagem aos dois treinadores pela não entrada de Gustavo Scarpa e Martín Benítez. Twitter bombou.

Scarpa joga demais, não coube na retranca do Abel. Abel burro. Teimoso. E o Veiga errando tudo, não aguento mais! Nada explica. Burro. Teimoso.

Abel arruma o time conforme o adversário, não tinha lugar pro Scarpa. Scarpa é mala quando substituído, merece aprender uma lição. Compete pouco. Não presta para jogo de intensidade. Não combina com jogo de marcação alta. Não marca ninguém.

Enquanto isso, do outro lado do muro da Barra Funda:

Coloca o cara, [palavrão de sua escolha]! Benítez precisa entrar urgente. Meme do Will Smith chorando vendo o Benítez no banco. Esperando Benítez há 85 anos. Peloamordedeus!

Crespo optou por um meio de campo mais veloz e marcador. Depois, a prioridade era fechar espaços e evitar o pior. É muito simples entender as escolhas.

Quem sou eu para desmerecer a corneta. Se virar esporte olímpico, levamos ouro, prata e bronze. Sem ela, o futebol teria bem menos graça e pimenta.

O que a corneta não pode fazer é derrubar treinador. Gerar crise interna em clube. Pautar a imprensa. Imprensa, que, mesmo especializada, também só tem opinião. Algumas análises embasadas, de gente que realmente estuda, claro. Ainda assim, opiniões.

Porque futebol não é ciência. Tem quem manje mais ou menos, quem erre com maior ou menor frequência, mas não tem fórmula exata. Como diz meu sábio pai: estratégia boa é que a deu certo. (Ou vocês teriam apostado no Breno Lopes herói da Libertadores? Sei...)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL