PUBLICIDADE
Topo

O que Palmeiras e basquete têm a ver com o grupo de rap Costa Gold?

Costa Gold lançou o álbum "AUGE" no mês passado  - Reprodução
Costa Gold lançou o álbum 'AUGE' no mês passado Imagem: Reprodução

Flavio Latif

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

13/05/2021 04h00

Há dez anos no cenário do rap nacional, o Costa Gold, formado por Lucas Predella, Caio 'Nog' e DJ Cidy, nasceu — muito em parte — do amor de dois dos três integrantes pelo basquete.

Nog e Predella jogavam nas categorias de base do Clube Pinheiros e no Palmeiras; respectivamente, e se conheceram "de vista" nas quadras - assistindo aos jogos um do outro. O rap foi um elemento a mais para fortalecer os laços.

Predella jogou basquete até os 14 anos. Aos 15, já era presente nas batalhas de rima no Beco do Batman, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Um dia Nog foi para uma batalha, eles se reconheceram, e ficaram amigos.

"O basquete fez a gente criar uma amizade muito grande, era algo que a gente tinha em comum, gostava. A gente combinava de ver jogo junto, nos conhecemos através do rap, mas na mesma proporção o basquete aproximou a gente tanto quanto o rap, fez a amizade evoluir", conta Predella em entrevista ao UOL Esporte.

Na foto acima, Predella vestia a camisa 11 no basquete infantil do Palmeiras.

Os dois avaliam que o basquete e os ensinamentos do esporte estão intimamente associados à trajetória musical deles.

"O basquete evoluiu o Costa Gold, fez a gente evoluir. A gente foi atleta de base, clubes bons de basquete, nossa rotina era seis dias de treino e um dia de jogo. O Predella parou no infantil, com uns 14 anos, e eu parei com uns 17. Quando a gente associa duas pessoas que jogavam basquete na infância e fissuradas pelo rap, a gente jogava com o rap na mente, ele era a trilha sonora do basquete", disse Nog.

nog - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução


Apesar não praticar tanto o esporte, Predella comentou que muitos ensinamentos passados pelo basquete na infância ajudam na carreira de artista atual.

"O basquete ajudou a gente com os extremos, é um esporte que te ensinar a manter os pés no chão. Você aprende a estar no meio de um furacão e não voa junto, continuar tentando manter os pés no chão e encontrar o equilíbrio. Se o Costa Gold cresce cada vez mais tem uma parcela do basquete nisso, por conta dessa disciplina do esporte. Ele nos ensinou a tomar a decisão certa", completa Predella.

Hoje em dia, a prática do basquete não é mais tão intensa como era antigamente. Predella não joga mais como gostaria devido a problemas no joelho. Nog, "sempre que pode", bate uma bolinha. Em 2018, ele até participou do 'Raulzinho Camp', evento promovido pelo armador brasileiro do Wizards, Raul Neto, e que contou com a presença do pivô francês Rudy Gobert, do Utah Jazz.

Projetos futuros sobre o esporte

O grupo lançou no último mês o álbum "AUGE", o sexto da carreira. E já prepara novidades. Uma das ideias é produzir em breve um projeto mais sólido sobre Costa Gold e basquete, embora já exista uma música que se chama 'Baska', com o cantor Eloy Polêmico, no canal deles no Youtube.

"A gente tem a ideia de fazer um jogo de basquete entre Nog x Predella. Já fizemos uma música para o NBB. O basquete sempre está atrelado aos nossos planos, o esporte se faz muito presente na nossa vida. É bem possível que em breve saia algo do Costa Gold relacionado ao basquete", promete Predella.