PUBLICIDADE
Topo

Basquete

Ex-comissário da NBA diz que maconha medicinal deve ser autorizada na liga

David Stern aperta a mão de Anthony Davis, primeira escolha do Draft de 2012 - Mike Segar /Reuters
David Stern aperta a mão de Anthony Davis, primeira escolha do Draft de 2012 Imagem: Mike Segar /Reuters

Do UOL, me São Paulo

25/10/2017 20h48

David Stern, comissário da NBA até 2014, já foi contra o uso de maconha por atletas da principal liga de basquete do planeta. Três anos depois de deixar o cargo, o ex-chefão da NBA mudou de opinião e saiu em defesa do uso medicinal da droga, algo que já é autorizado em 46 Estados e o distrito de Columbia – embora com diferentes graus de regulamentação.

Em uma entrevista ao canal "Uninterrupted", Stern explicou sua nova posição a respeito do tema. “Estamos agora em um momento em que, pessoalmente, eu acho (que a maconha) provavelmente deveria ser removida da lista de itens banidos. Acredito que existe um entendimento universal que a maconha para propósitos médicos deveria ser completamente legal”, explicou.

De acordo com site “Bleacher Report”, Stern aumentou o rigor nos testes contra o uso de drogas dentro da NBA no período em que ficou à frente da liga, de 1984 a 2014. Na nova entrevista, ele explicou sua antiga posição.

“Naquela época, as pessoas aceitavam a tese geral que a maconha era uma ‘droga de entrada’ e que se você começasse a fumar você estava propenso a ir para coisas maiores e melhores”, lembrou.

Stern também revelou que jogadores vinham à NBA para falar que alguns jogadores chegavam para jogar logo após terem fumado maconha. O contexto mudou, e o ex-comissário opinou que a liga deve liberar os jogadores a fazerem o que as leis dos estados de cada time permitem.

Tal ideia vai contra o que Adam Silver, atual comissário da NBA, pensa. Em uma entrevista ao “Players’ Tribune”, Silver disse considerar arriscada a liberação porque os jogadores vivem viajando entre estados diferentes, com regras diferentes.

Basquete