PUBLICIDADE
Topo

STJ suspende condenações e Arruda fica livre para disputar eleições no DF

Isabella Cavalcante e Paulo Roberto Netto

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

06/07/2022 22h58Atualizada em 07/07/2022 12h58

Uma decisão emitida pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) acatou o pedido da defesa do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (PL) e restabeleceu os direitos políticos. Assim, o engenheiro fica livre para pleitear um cargo nas eleições deste ano.

Com os direitos políticos de volta, Arruda deve tentar novamente a vaga do governo do DF e rivalizar com o atual governador, Ibaneis Rocha (MDB), que lidera as pesquisas de intenção de voto para o cargo.

A perda de elegibilidade, revogada hoje, é consequência das condenações do ex-governador, que foi alvo da Operação Caixa de Pandora, deflagrada pela Polícia Federal em 2009. No ano seguinte, ele chegou a ser preso preventivamente.

Arruda foi condenado por corrupção de testemunha e falsidade ideológica —ambas foram anuladas este ano pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) André Mendonça, indicado do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Além de Bolsonaro, o ex-governador divide o partido com a esposa, Flávia Arruda, que atuou como ministra-chefe da Secretaria de Governo do Brasil entre 2021 a 2022.

Arruda ficou afastado da política na última década pelos escândalos e condenações que ocorreram durante seu mandato no DF.