PUBLICIDADE
Topo

Pré-candidato, André Janones diz estudar plano de fim do 'aborto paterno'

Pré-candidato à Presidência da República André Janones (Avante-MG) - Reprodução/Facebook AndreJanones
Pré-candidato à Presidência da República André Janones (Avante-MG) Imagem: Reprodução/Facebook AndreJanones

Do UOL*, em São Paulo

28/06/2022 17h04Atualizada em 28/06/2022 17h04

O pré-candidato à Presidência da República, André Janones (Avante), disse hoje que estuda um projeto para coibir o "aborto paterno". O atual deputado federal por Minas Gerais criticou a ausência paterna e quer buscar uma forma de garantir a presença de pais na vida das crianças.

"Sou contra o aborto e o aborto que mais me choca hoje, é o 'aborto paterno'. Estou reunido com a minha equipe e vamos estudar um projeto que coíba o 'aborto' por parte do pai, garantindo a criança direito a metade do patrimônio do pai ausente no início da gestação", disse no Twitter.

Segundo o político, ele esteve com 26 famílias no fim de semana, das quais pelos menos 24 sofrem com a questão. "24 [famílias] são monoparental, onde a mãe foi abandonada com as crianças na mais absoluta miséria", escreveu.

As recentes discussões sobre aborto ganharam uma outra temática, que se aproxima do que Janones chama de "aborto paterno". Isso porque, muitas pessoas entendem que o abandono paterno não tem a mesma atenção no Brasil, e seria um "aborto simbólico".

No Brasil, segundo dados da Arpen (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais), quase 170 mil crianças foram registradas somente com o nome da mãe na certidão de nascimento em 2021. Segundo a plataforma, os reconhecimentos de paternidade caíram mais de 30% em comparação com 2019. As informações foram coletadas nos 7.654 Cartórios de Registro Civil do Brasil, distribuídos em todo país.

* Com informações de Estadão Conteúdo