PUBLICIDADE
Topo

Senador Reguffe oficializa pré-candidatura ao governo do DF

17.abr.2019 - Reguffe (União Brasil), senador pelo Distrito Federal - Roque de Sá/Agência Senado
17.abr.2019 - Reguffe (União Brasil), senador pelo Distrito Federal Imagem: Roque de Sá/Agência Senado

Colaboração para o UOL

24/06/2022 18h00Atualizada em 25/06/2022 12h40

O senador José Antonio Reguffe (União Brasil-DF) oficializou hoje, em um pronunciamento divulgado nas redes sociais, que é pré-candidato ao governo do Distrito Federal. Sua participação na disputa já era especulada.

"Eu devo à população do Distrito Federal uma candidatura a governador. Talvez não fosse o caminho mais cômodo e confortável para mim, mas devo à população essa candidatura", diz o parlamentar no vídeo.

No pronunciamento, Reguffe se compromete a direcionar seus esforços, caso eleito, à saúde e à geração de empregos. Ele também afirma que não concorrerá à reeleição, em caso de vitória nesta disputa.

Pesquisa mostra Reguffe em 2º lugar na disputa

Pesquisa do Instituto Ideia, contratada pelo site Metrópoles e divulgada anteontem, aponta o atual governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) à frente na corrida eleitoral para o governo. No cenário principal, que é estimulado — quando são apresentados nomes aos entrevistados — o governador tem 34,5% das intenções de voto. O senador José Antônio Reguffe (União Brasil) aparece em segundo lugar, com 14,8%.

Com a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, o terceiro lugar tem um empate técnico entre Leila do Vòlei (PDT), com 7%; Rafael Parente (PSB), com 5,8%; e Izalci Lucas (PSDB), com 4,5%.

No levantamento espontâneo, quando os entrevistados podem apontar qualquer nome de sua preferência, Ibaneis também lidera, mas dessa vez com 25,5%. Em seguida, estão Parente, com 3,8%; Leila, com 3,3%; e Reguffe, com 3,5%.

A rodada deste mês não é comparável com a que foi feita em maio, já que houve mudança na lista de nomes de pré-candidatos exibida aos entrevistados. Agora, não constam mais na sondagem a ex-ministra Flávia Arruda (PL), o ex-deputado Geraldo Magela (PT) e a professora Rosilene Corrêa (PT). Além disso, foi incluído o nome de Robson da Silva (PSTU).

A pesquisa foi feita com 1.200 entrevistas por telefone no Distrito Federal entre os dias 16 e 21 de junho e custou R$ 23.820,00. O nível de confiança é de 95%, e o número de registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é DF-04171/2022.