PUBLICIDADE
Topo

Lula: Fico triste vendo Forças Armadas batendo continência a Bolsonaro

Lula (PT) compareceu em evento em Sergipe  - Reprodução
Lula (PT) compareceu em evento em Sergipe Imagem: Reprodução

Gabriela Vinhal

Do UOL, em Brasília

18/06/2022 14h57

Em campanha no Nordeste, o pré-candidato petista à Presidência da República, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou neste sábado (18) que fica triste quando vê as "Forças Armadas batendo continência" para o presidente Jair Bolsonaro (PL), que é capitão reformado do Exército.

"Eu fico triste quando vejo as Forças Armadas batendo continência para um cara que foi expulso do Exército por mau comportamento", disse Lula a militantes em um ato público no Centro de Convenções de Sergipe.

A declaração de Lula é falsa. Jair Bolsonaro não foi expulso do Exército Brasileiro. Ele deu baixa no serviço ativo em 1988, um mês depois de ter sido eleito vereador no Rio de Janeiro.

Ao lado do senador Rogério Carvalho, candidato ao governo de Sergipe, e de seu vice na chapa presidencial, Geraldo Alckmin (PSB), Lula criticou a postura de Bolsonaro quando Recife foi alvo de fortes chuvas que mataram mais de 120 pessoas.

"Ele não tem respeito pelo povo brasileiro, pelos nosso filhos e pelos homens e mulheres deste país. Precisamos mudar isso. Mas não sou eu que vou mudar, são vocês", reforçou Lula. "Vejam essa 'coisa' que está governando o Brasil há 4 anos. Ele foi preparado para falar bobagem todo santo dia, através das lives dele", completou.

O petista ainda disse que Bolsonaro é "o maior pecador da história da humanidade, porque ele fala em Deus e sabemos que não se pode falar o nome de Deus em vão. Não pode ficar mentindo em nome de Deus".

Lula declarou ainda que não quer receber a faixa presidencial das mãos de Bolsonaro, mas das mãos do povo brasileiro. "Não adianta o 'Bozo' [Jair Bolsonaro] ficar dizendo que não vai sair. Como o povo é a voz de Deus, ele vai sair, porque o povo quer que ele saia".

Ataques às urnas

Antes do discurso de Lula, Alckmin também comentou os ataques de Bolsonaro ao processo eleitoral. Ele afirmou que o presidente, a quem chamou de "Bozo", "não está desconfiado das urnas eletrônicas, ele não confia no voto do povo, porque sabe que não merece um segundo mandato".

Lula chegou à região na quinta-feira (16) com a missão de visitar três capitais: Natal, Maceió e Aracaju, onde se encontrou com governadores e líderes políticos pela primeira vez desde que formalizou a pré-candidatura ao lado de Alckmin.