PUBLICIDADE
Topo

Sem Doria, presidente do PSDB sugere 'aglutinar' Bivar e Ciro à 3ª via

23.mai.2022 - Em pronunciamento, o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou que desistiu de ser candidato à Presidência. Ao fundo o presidente do partido, Bruno Araújo - Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo
23.mai.2022 - Em pronunciamento, o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou que desistiu de ser candidato à Presidência. Ao fundo o presidente do partido, Bruno Araújo Imagem: Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Giovanna Galvani

Do UOL, em São Paulo

23/05/2022 14h13Atualizada em 23/05/2022 15h12

Após a desistência de João Doria (PSDB) da pré-candidatura à Presidência da República, anunciada hoje, o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, defendeu uma "aglutinação" de outros pré-candidatos ao projeto de "terceira via" construído pelo partido junto ao MDB e ao Cidadania. Entre os nomes citados, estão Luciano Bivar, pré-candidato pelo União Brasil, e Ciro Gomes, nome do PDT para a disputa do Planalto.

"É possível a política encontrar o caminho da solução. Conclamamos a outros partidos que possam se incorporar em algo que quebre a polarização", disse Araújo, referindo-se à preferência atual dos eleitores pelos nomes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL), segundo as últimas pesquisas eleitorais.

O convite de Araújo incluiu um "apelo de reflexão" ao União Brasil, que integrava o grupo até o começo de maio, quando o partido decidiu romper com a aliança que busca lançar um nome único para uma candidatura de centro nas eleições.

Para Bruno Araújo, a saída de Doria da disputa dá sinais de que é possível aglutinar "consensos" sobre projetos comuns para o país. Apesar de Simone Tebet (MDB) ser agora o único nome disponível do grupo formado com o MDB e o Cidadania, o presidente tucano ainda não cravou a senadora como a pré-candidata da terceira via.

"Vamos dar um passo a frente agora. A construção não é só definir nome, e o nome de Simone [Tebet] é o nome posto, mas precisamos construir projeto de compromisso de programa com o Brasil", disse Araújo a jornalistas.

Durante a entrevista, Araujo elogiou o gesto de Doria classificando-o como uma "entrega à democracia, um compromisso com os brasileiros que será eternamente reconhecido pelo partido, por São Paulo e pelo Brasil".

Questionado sobre quais seriam os próximos passos de Doria, o presidente do PSDB disse que o ex-governador de São Paulo deve se "recolher" nos próximos dias, mas que poderá contribuir "da forma que ele quiser" para o projeto futuro da terceira via.