PUBLICIDADE
Topo

Rival interno no PSDB, Leite diz que decisão de Doria 'merece respeito'

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, junto com governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite no Palácio dos Bandeirantes - Divulgação/Governo de São Paulo
O governador do Estado de São Paulo, João Doria, junto com governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite no Palácio dos Bandeirantes Imagem: Divulgação/Governo de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

23/05/2022 15h32

O ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB-RS) afirmou hoje que a decisão do ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB-SP) de deixar a pré-candidatura à Presidência da República merece respeito. Leite e Doria disputaram as prévias tucanas para ver quem representaria o partido nas eleições de outubro.

O PSDB teve candidato legítimo oriundo das prévias, que agora faz gesto pela unificação da terceira via sob liderança de outro partido. Gesto importante de @jdoriajr, que merece respeito. As circunstâncias adversas de uma eleição não diminuem a relevância do seu legado para o Brasil. Eduardo Leite

O gaúcho perdeu as prévias tucanas para Doria em novembro do ano passado, mas, desde então, chegou a fazer articulações para se viabilizar como pré-candidato ao Executivo federal.

No comunicado divulgado em abril, Leite disse que o PSDB deveria "ter candidato a presidente" e que este nome seria o de João Doria. Na ocasião, ele lembrou ainda que o ex-governador paulista o derrotou nas prévias internas, "das quais nunca se buscou tirar legitimidade".

Tebet vê Leite com "muito carinho"

Agora, com a desistência de Doria, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) aparece como provável nome da chamada terceira via.

Em abril, dois dias após Leite sinalizar que estava disposto a ser vice na chapa presidencial de Tebet, a senadora afirmou ter recebido com "muito carinho" a possibilidade de tê-lo como vice.

Na ocasião, ela reforçou ter "todas as condições" para liderar a candidatura da terceira via. Mas ponderou que essa decisão caberá aos presidentes dos partidos.

"Para quem não acreditava que o MDB seguiria com a candidatura até o final, hoje está claro que o partido não só se posiciona com uma pré-candidata, mas como nós temos todas as condições de liderar como cabeça de chapa", afirmou.