PUBLICIDADE
Topo

Aliados elogiam Doria: 'Perde o Brasil'; bolsonaristas ironizam: 'Expulso'

João Doria anunciou hoje sua desistência de disputar as eleições presidenciais - Guito Moreto / Agência O Globo
João Doria anunciou hoje sua desistência de disputar as eleições presidenciais Imagem: Guito Moreto / Agência O Globo

Do UOL, em São Paulo

23/05/2022 12h58Atualizada em 23/05/2022 18h45

Aliados do ex-governador João Doria (PSDB-SP) lamentaram sua desistência de disputar a Presidência da República. Por outro lado, bolsonaristas comemoraram nas redes sociais, dizendo que ele foi expulso da briga pelo próprio partido e ironizando: "fica em casa".

Em seu perfil no Twitter, a deputada federal Joice Hasselmann (PSDB-SP) disse que com a saída de Doria da disputa "perde o PSDB, perde o Brasil. "Os extremos, por hoje, comemoram", escreveu.

O pré-candidato à presidência do Avante, o deputado federal André Janones (MG), lamentou a desistência e criticou o fato de Doria ter sido presisonado a desistir. Para ele, é "muito prejudicial" que o PSDB "não respeite as regras que eles estabeleceram".

O presidente do PSDB em São Paulo, Fernando Alfredo, foi na mesma linha e disse que o Brasil "perde a chance de ter um grande estadista como presidente". Em nota, ele defendeu as gestões de Doria na prefeitura e no governo do estado e afirmou que o passo dado hoje foi a "atitude de um gigante como poucos". "O Brasil ainda saberá reconhecer seus esforços", finalizou.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, que substituiu Doria no governo, classificou a atitude de seu antecessor como um ato de "serenidade e desprendimento".

Já o senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro (PL-RJ), disse que "a conta do autoritarismo é a impopularidade". Ele lamentou que Doria não tenha desistido quando medidas de isolamento social estavam sendo adotadas por conta da pandemia de covid-19.

O senador usou termos exagerados para se referir às medidas, dizendo que Doria mandou soldar portas de comércio e prender pessoas que estavam nas ruas, o que não aconteceu.

O empresário bolsonarista que flertou com uma candidatura ao Senado por Santa Catarina, Luciano Hang, disse que "queriam destruir a economia, criar uma narrativa e se apresentar como salvadores da pátria". "Mas o tiro saiu pela culatra", completou.

Alguns minutos depois, Hang voltou a alfinetar Doria, ironizando: "chegou o momento que você tão esperava: fique em casa".

A senadora e pré-candidata à presidência pelo MDB, Simone Tebet, divulgou uma nota comentando a saída de Doria da disputa. Ela afirmou que "Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado".

Tebet é a preferida de MDB, PSDB e Cidadania para ser o nome único da chamada terceira via. Integrantes do próprio partido de Doria já vinham defendendo que ele abdicasse de concorrer em favor da senadora.

O presidente nacional do Cidadania, partido que está em uma federação com o PSDB, foi mais um a se manifestar sobre o anúncio do ex-governador de São Paulo. Para Roberto Freire o movimento foi "um gesto de grandeza.

Veja mais reações de políticos