PUBLICIDADE
Topo

Castro promete colocar câmeras nas fardas policiais em no máximo 30 dias

Colaboração para o UOL

20/05/2022 16h38Atualizada em 20/05/2022 17h48

Pré-candidato à reeleição no Rio de Janeiro, o governador Cláudio Castro (PL) disse, durante sabatina UOL/Folha realizada hoje, que as câmeras nas fardas policiais devem ser implementadas em até 30 dias, após um atraso que ele atribuiu a problemas na licitação para a compra dos equipamentos.

"Eu acredito muito que a câmera é uma proteção da polícia, uma proteção do cidadão e do policial. Entendo a crítica de quem não queira a câmera. Mas já deixei claro que haverá curva de aprendizado pela própria polícia. A cúpula da polícia é favorável às câmeras. Acredito que em mais 30 dias aí está sendo totalmente aplicada."

Para fazer a "curva de aprendizado" citada por Castro, as câmeras devem começar a funcionar em locais turísticos e com ocorrências mais simples, como furtos, para depois serem expandidas a todos os batalhões.

Ele também falou sobre os problemas nos transportes públicos, culpando a pandemia.

"O Brasil foi um dos poucos, talvez o único dos continentais, que não subsidiou o transporte público. Isso causou um desequilíbrio enorme. Começamos uma renegociação com todos os modais. A barca será relicitada, os ônibus e o metrô entramos no diálogo e conseguimos equacionar", listou.

Para a SuperVia, ele considerou que "não se enquadram no que acreditamos que tem que ser". "O maior problema não é furto de cabos, é manutenção. A falta de investimentos contratuais que eles não fazem. Então nós estamos multando a SuperVia todos os dias. É um trabalho porco o que a SuperVia faz", afirmou.

"O estado não botará um real enquanto eles não melhorarem o processo de manutenção. O estado faz o investimento na rede e melhora, mas eu não vou dar um real para a concessionária, que é o que eles querem hoje. Nem terão nenhum tipo de reajuste [no preço da tarifa]."

Pesquisa Datafolha

Segundo pesquisa Datafolha divulgada em abril, há um empate técnico na liderança entre o deputado federal Marcelo Freixo e o atual governador, Cláudio Castro (PL).

O terceiro lugar traz oito candidatos tecnicamente empatados: Anthony Garotinho (União Brasil), com 7%; Rodrigo Neves (PDT), com 5%; Eduardo Serra (PCB), com 4%; General Santos Cruz (Podemos), também com 4%; Cyro Garcia (PSTU), com 3%; André Ceciliano (PT), com 2%; Felipe Santa Cruz (PSD), com 2%; e Paulo Ganime (Novo), que tem 1% das intenções de voto.

A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Os entrevistadores são os colunistas Kennedy Alencar e Chico Alves, do UOL, e Italo Nogueira, repórter da Folha.

Nas próximas semanas, também serão feitas sabatinas com candidatos ao governo do Paraná, Pernambuco, Ceará, Bahia e Rio Grande do Sul.