PUBLICIDADE
Topo

Sabatina UOL/Folha

Pré-candidatos são entrevistados por jornalistas do UOL e da Folha


Pré-candidato do PCB no Rio propõe expansão de barca e trens e nova polícia

Henrique Sales Barros e Matheus Mattos

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/05/2022 11h14Atualizada em 19/05/2022 11h50

O pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PCB, Eduardo Serra, propôs a expansão de barcas e trens através da estatização do transporte público e prometeu a criação de uma nova polícia.

"Nós temos uma proposta para a polícia que é a extinção das duas polícias que existem hoje —Civil e Militar— e a criação de uma nova: uma instituição civil e uniformizada", disse Serra durante sabatina promovida hoje pelo UOL e pela Folha de S.Paulo.

"É claro que vai ter destacamentos para operações policiais, mas seria uma polícia de orientação civil. E haverá uma nova orientação, para ela ser uma polícia de ação investigativa, preventiva e educativa —e sem nenhuma concessão ao crime organizado, de qualquer tipo", acrescentou.

"Muitas vezes se atribui a propostas de esquerda serem condescendentes, mas aqui não há nenhuma concessão ao crime organizado. Nenhuma."

"A ideia é transformar a instituição, mudar a forma de entrada, fazer com que todos tenham carreira, salários dignos e uma formação forte, principalmente no sentido de definir o seu papel como protetor da população e vai trabalhar em conjunto com a comunidade", continuou.

Ele propôs ainda um conselho popular de segurança, em que os moradores vão ser parceiros da polícia. "A grande maioria não quer o tráfico, quer moradia, emprego."

Sobre o serviço de transporte, classificou como um "problema enorme" e propôs criar uma empresa pública pra cuidar do serviço.

"A ferrovia e a SuperVia estão completamente falidas. É um transporte caro, que não atende no horário noturno, tem linhas que desaparecem", criticou.

"Nós temos uma proposta clara, é a estatização do sistema de transporte. Criar uma empresa pública, que vai se expandindo. O transporte privado ficaria como um complemento", afirmou, citando estudo que mostra que essa proposta faria a tarifa diminuir 50%. "Nossa ideia é rumar para a tarifa zero nos transportes, integrando os transportes, fazendo os horários noturnos e fazendo a expansão das barcas e dos trens."

Serra disse também que vai concluir a obra do metrô da estação da Gávea: "Eu concluiria, sim, e retomaria o projeto da ligação do metrô entre praça 15, no centro do Rio, e Niterói. Essa obra não avança por conta do interesse das empresas de ônibus, que preferem seguir com a exploração da ponte e das linhas de ônibus e não deixar a expansão do metrô. É muito mais racional e viabiliza emprego para muita gente".

Durante a sabatina, disse que vai "dificultar ao máximo" posse de armas para cidadãos comuns e pretende criar plebiscito revogatório para a reforma trabalhista.

"Quanto mais armas disponíveis, mais incitação à violência. Arma é para uso de polícia e das Forças Armadas. Retomaria a ideia do plebiscito das armas, como proporia também o plebiscito para revogar a retirada dos direitos trabalhistas e sociais que foi realizada nos últimos anos."

Segundo pesquisa Datafolha para o governo do RJ divulgada em abril, há um empate técnico na liderança entre o deputado federal Marcelo Freixo (PSB) e o atual governador, Cláudio Castro (PL).

O terceiro lugar traz oito candidatos tecnicamente empatados: Anthony Garotinho (União Brasil), com 7%; Rodrigo Neves (PDT), com 5%; Eduardo Serra, com 4%; General Santos Cruz (Podemos), também com 4%; Cyro Garcia (PSTU), com 3%; André Ceciliano (PT), com 2%; Felipe Santa Cruz (PSD), com 2%; e Paulo Ganime (Novo), que tem 1% das intenções de voto.

A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Calendário das sabatinas no Rio

  • 19/5 - 16h - Cyro Garcia (PSTU)
  • 20/5 - 10h - Marcelo Freixo (PSB)
  • 20/5 - 16h - Cláudio Castro (PL)

Nas próximas semanas, também serão feitas sabatinas com candidatos ao governo do Paraná, Pernambuco, Ceará, Bahia e Rio Grande do Sul.