PUBLICIDADE
Topo

Oyama: Bolsonaro quer evitar nova alta do diesel na marra com novo subsídio

Colaboração para o UOL

17/05/2022 11h15Atualizada em 17/05/2022 11h15

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não desistiu de interferir nos combustíveis e deve anunciar, ainda durante sua tradicional transmissão ao vivo nesta quinta-feira (19), um subsídio para evitar novo aumento no preço do diesel. A apuração é da colunista do UOL Thaís Oyama, durante participação em O Radar das Eleições.

"Ele não desistiu de baixar o preço do diesel, sobretudo 'na marra'. O que a gente pode esperar para esta semana é, sem dúvida, algum anúncio na live sobre subsídio do diesel, algum mecanismo que vai fazer que o diesel não sofra novo aumento em breve, porque ainda existe a defasagem acumulada", revelou.

No último dia 9, a Petrobras anunciou reajuste em 8,87% do preço do diesel nas suas refinarias, com o valor do combustível para distribuidoras passando de R$ 4,51 para R$ 4,91 por litro.

Apuração de Thaís Oyama também aponta que o presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, não está estável no cargo, apesar de ter tomado posse há apenas pouco mais de um mês.

"A cabeça do presidente da Petrobras também não está firme no pescoço. Bolsonaro também está ameaçando tirar dois diretores, pelo menos, e o presidente da Petrobras", disse.

Bolsonaro autoriza revisão da tabela do frete

O presidente Jair Bolsonaro editou uma MP (Medida Provisória), hoje, para permitir a revisão da tabela do frete sempre que houver oscilação superior a 5% no preço do óleo diesel em relação ao preço de referência. A iniciativa é um aceno aos caminhoneiros, grupo revelante na base de apoio do mandatário.

Antes, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) reajustava a tabela do frete a cada seis meses ou quando a variação do preço do diesel fosse igual ou superior a 10%.

No comunicado divulgado à imprensa sobre a revisão para a tabela do frete, o governo ressalta que o preço do diesel acompanha a cotação internacional do petróleo e, por isso, tem sofrido movimentos ascendentes bruscos, decorrentes da nova realidade de confronto entre a Rússia e a Ucrânia.