PUBLICIDADE
Topo

Pré-candidata do PSOL em MG promete rever licenças e isenção a mineradoras

Colaboração para o UOL

09/05/2022 11h44Atualizada em 09/05/2022 11h50

Pré-candidata pelo PSOL ao governo de Minas Gerais, Lorene Figueiredo prometeu rever o licenciamento para mineração na Serra do Curral e as isenções fiscais a mineradoras durante sabatina UOL/Folha de hoje.

O governo de Romeu Zema aprovou a exploração por mineradoras em local em processo de tombamento, localizado na cidade de Nova Lima, na divisa com Belo Horizonte e Sabará.

Ao menos R$ 650 mil foram transferidos pelos sócios de duas mineradoras para a candidatura de Zema. O valor equivale a 11% do financiamento da campanha.

Lorene destacou a importância da Serra do Curral e afirmou que a preservação por parte do estado é "o mínimo a se fazer".

"A Serra do Curral cumpre um papel importante do ponto de vista do equilíbrio climático, ambiental, da preservação de várias espécies que são próprias daquele bioma. Também entendemos que vai impactar fortemente a barragem de Nova Lima". "A Serra do Curral cumpre um papel importante na preservação do abastecimento de água de Belo Horizonte", afirmou.

Ainda sobre o assunto, a pré-candidata citou comunidades quilombolas e garantiu revisão no licenciamento.

"Tem a população quilombola, que vive na região, e nem sequer foi citada no relatório, por isso não pode nem se manifestar. O que é um completo desrespeito a essas comunidades mais originárias."

Durante a sabatina, Lorene também prometeu rever isenções fiscais para as mineradoras.

"Não podemos permitir querer fazer política em Minas garantindo isenção a esse tipo de empresa. Não podemos permitir renúncia fiscal de R$ 6,2 bilhões em 2019."

Somos candidatos que não devemos nada a mineradoras. Vamos regulamentar fortemente o setor da mineração, rever isenções e utilizar esses recursos para recomposição da economia."
Lorene Figueiredo, pré-candidata do PSOL ao governo de MG

Em relação ao trabalho da polícia de Minas Gerais, Lorene Figueiredo defendeu uma política de segurança pública que "preserve a vida desses policiais e da população".

A pré-candidata criticou a adoção da reforma do ensino médio e apostou numa "forma humanista" de tratar a educação.

"Vamos sentar com nossos colegas e apresentar um trabalho que reconheça a qualidade da educação, que passa pelo respeito ao trabalhador do setor, pela recomposição das escolas, porque temos uma degradação dos prédios, além de uma discussão de concepção pedagógica que seja emancipadora. Isso implica numa formação clássica, científica e cultural."

As sabatinas UOL/Folha acontecem até o dia 13, sempre ao vivo e com transmissão pela internet nos sites e perfis nas redes sociais do UOL e da Folha. Os entrevistadores serão a apresentadora Fabíola Cidral, o colunista do UOL Alberto Bombig e a repórter da Folha Carolina Linhares.