PUBLICIDADE
Topo

Agregador de pesquisas: distância entre Lula e Bolsonaro cai para 9 pontos

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) lideram as pesquisas eleitorais para a Presidência da República - Reprodução
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) lideram as pesquisas eleitorais para a Presidência da República Imagem: Reprodução

Juliana Arreguy

Do UOL, em São Paulo

15/04/2022 04h00

Nove pontos percentuais separam Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) na disputa pela Presidência da República, segundo o Agregador de pesquisas eleitorais UOL, lançado na última segunda-feira (11).

O petista lidera as intenções de votos, nesta sexta-feira (15), com 41%, enquanto o atual presidente da República tem 32% da preferência dos eleitores. Atrás dos dois aparecem, com 6%, Ciro Gomes (PDT) e Sergio Moro (União Brasil).

A diferença entre os dois líderes da pesquisa diminuiu em relação à semana passada. No dia 8, a distância entre Lula e Bolsonaro era de 11 pontos: o petista tinha 42% e o atual presidente, 31%, de acordo com o agregador.

A ferramenta reúne pesquisas de opinião feitas por mais de 20 institutos e apresenta cálculos em cima de todos os cenários testados. Isso inclui também simulações com nomes que não são confirmados na disputa, como o do ex-juiz Sergio Moro.

Moro era o presidenciável do Podemos até trocar de legenda, às vésperas do fim da janela partidária. No entanto, seu atual partido, o União Brasil, lançou ontem o deputado federal Luciano Bivar como pré-candidato a presidente.

Até o fim do prazo do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para a definição de candidaturas, em 5 de agosto, o agregador apresentará todos os nomes testados pelos institutos de pesquisa.

Nulos e brancos maiores que a 3ª via

A chamada terceira via eleitoral, com presidenciáveis como João Doria (PSDB) e Simone Tebet (MDB), apresenta menos intenções de votos do que brancos e nulos.

Até o momento, 12% dos eleitores declararam que pretendem anular o voto ou votar em branco. Vencedor das prévias do PSDB, Doria tem 3,8% — 1,4 pontos percentuais a mais do que o também tucano Eduardo Leite, nome que vem sendo articulado por uma ala do partido para se tornar o candidato da sigla.

A emedebista Simone Tebet é a que apresenta menor desempenho entre as candidaturas de partidos com farta representação no Congresso Nacional: apenas 1,7% dos votos. O percentual é inferior ao de André Janones (Avante), que soma 2,6% das intenções de votos.

Luiz Felipe D'Ávila, presidenciável do Novo, tem apenas 0,2%.

O agregador também aponta que os candidatos de partidos nanicos não alcançaram, até o momento, 1% da preferência dos entrevistados. José Maria Eymael (DC), com 0,9%, encabeça a lista, seguido por Vera Lúcia (PSTU), com 0,3%, e Leonardo Péricles (UP), Aldo Rebelo (PSB) e Sofia Manza (PCB), todos com 0,1%.

Como o agregador trabalha com cenários apresentados pelos institutos de pesquisas desde 2019, pode haver distorção entre os percentuais dos candidatos e os números apresentados individualmente pelas pesquisas eleitorais.

A ferramenta foi criada pelo estatístico Neale El-Dash, do site Polling Data, e é atualizada diariamente.