PUBLICIDADE
Topo

Conversa de Portão #6: Como queimadas no Pantanal refletem nas periferias?

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

20/10/2020 04h00

As queimadas no Pantanal e desmatamento na Amazônia podem parecer distantes para quem vive no espaço urbano. O que eles têm a ver com a vida nas periferias das cidades? Para falar sobre isso, a apresentadora Jéssica Moreira entrevista a bióloga Gabriela Trindade no sexto episódio do podcast Conversa de Portão.

A questão ambiental, muitas vezes, é percebida como um assunto de classe média ou da branquitude. Mas a verdade é que as consequências da crise climáticas não são apenas para todos - são piores para comunidades mais vulneráveis.

"As enchentes estão aí para mostrar que afeta muito o nosso dia a dia. A questão da alimentação também vem para mostrar isso - o arroz, por exemplo, que tá um absurdo de caro atualmente, tem a ver com questões ambientais", diz Gabriela (a partir de 25:10 do arquivo acima). "Tudo, no fim das contas, tem a ver com questões ambientais, e tudo acaba afetando de certa forma, seja nossa saúde, seja o nosso lazer, seja nosso emprego. seja nosso deslocamento pela cidade".

Gabriela é de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. Ela é professora de ciências e biologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e faz mestrado na Unirio com foco em movimentos sociais e educação ambiental. A bióloga integra ainda o grupo de estudos em educação ambiental Desde el Sur.

E não é porque as consequências são sistêmicas que elas são vagas. Gabriela citou exemplos concretos de como as queimadas no Pantanal e Amazônia afetam a população periférica em todo o Brasil. Ela explica o fenômeno conhecido como "rios voadores" - umidade que os ventos levam dessas regiões para chover e manter o abastecimento de água em todo o Brasil e até na África. Com a fonte dessa umidade literalmente em chamas, fica fácil entender a gravidade.

"Você afeta o clima a nível mundial, decreta seca em diversas regiões. Não tem mais rios para fazer captação de água para beber, para tomar banho, para lavar roupa, para lavar a louça. Quem já ficou sem água em casa sabe a dureza que, nem que seja por um dia só", diz (a partir de 4:09 do arquivo acima).

Fenômenos como o encobrimento por fumaça - como o que transformou o dia em noite em SP no ano passado por conta de queimadas amazônicas - e chuvas pretas que já foram registradas no Sul, são esperadas no Sudeste. Não dá para ignorar o impacto de uma poluição atmosférica tão forte que chega a ser visível.

"Você tem um nível extremamente alto de poluição do ar que afeta nossa respiração, nossa pele, nossa comida, nosso corpo como um todo", explica (a partir de 19:01 do arquivo acima). "Óbvio que afeta em maior grau quem está próximo. Para você ter uma ideia do impacto, essas queimadas na Amazônia estão ligadas a mais de duas mil hospitalizações em 2019. Fora isso, três milhões de pessoas em 90 municípios ali expostas a níveis muito altos de poluição do ar. Você tem uma política de morte, literalmente".

Conversa de Portão é um podcast produzido pelo coletivo independente Nós Mulheres da Periferia que, todas as terças, traz a opinião, análise ou histórias de mulheres sobre notícias que são importantes para esse grupo.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição. Você pode ouvir Conversa de Portão, por exemplo, no Youtube, no Spotify, no Google Podcasts e no Deezer.