PUBLICIDADE
Topo
Final feliz

Final feliz

'Fazedores de Floresta' mostra ação de rede que replantou 20 mi de árvores

"Fazedores de Floresta" pode ser assistido online e de graça no site do documentário - Tui Anandi/ISA
'Fazedores de Floresta' pode ser assistido online e de graça no site do documentário Imagem: Tui Anandi/ISA

Paula Rodrigues

De Ecoa, em São Paulo (SP)

04/02/2022 06h00

Em Mato Grosso, as áreas das nascentes dos rios Xingu, Araguaia e Teles Pires sofreram com o desmatamento crescente dos últimos anos — o que afetou a oferta de água dos rios e dificultou a economia, o trabalho e a vida de quem mora na região. Mas é dali também que veio a solução para o problema.

A Rede de Sementes do Xingu, associação não governamental sem fins lucrativos que há cerca de 15 anos reúne povos indígenas, agricultores e moradores em torno do reflorestamento de regiões da Amazônia e Cerrado, tem trabalhado junto ao ISA (Instituto Socioambiental) para recuperar as áreas próximas às bacias dos rios.

No documentário "Fazedores de Floresta - Uma aventura em busca da água", o trabalho desses diferentes atores é mostrado do início ao fim — ou melhor, da semente até a árvore.

"Como é que se faz uma floresta?", questiona Milene Alves, uma das 500 coletoras de sementes da Rede e narradora do filme. Sempre didática, explicando passo a passo, é também Milene quem nos dá a resposta: "Uma semente é uma árvore amanhã".

Assim, o documentário, que é todo em realidade virtual, nos leva pelas cidades com o grupo de coletores de que Milene faz parte em busca de sementes. Juntos, passam o tempo olhando para o chão, sempre atentos e atentas para encontrar o que chamam de "tesouro".

Essas sementes coletadas passam por um processo de beneficiamento, em que são selecionadas aquelas com melhor qualidade.

Depois, são mandadas para as Casas de Sementes, onde ficam estocadas por alguns meses até a chegada da época do plantio. Dessas sementes, 98% são destinadas ao plantio direto. Os outros 2% são vendidos para viveiros de mudas e outros usos, como fabricação de biojoias.

Segundo informações do ISA, ao todo, a rede já é responsável por plantar cerca de 20 milhões de árvores nas regiões. Além disso, até 2020, a organização já havia arrecadado 260 toneladas de sementes de mais de 220 espécies nativas, gerando R$ 4,4 milhões para os coletores das comunidades.

Como a própria Milene explica no documentário, "ter a floresta de volta é bom pra todo mundo". Ideia que tem se espalhado pelas regiões onde a rede atua. Mesmo com as dificuldades de fazer os agricultores entenderem que eles também são prejudicados com o derrubamento de árvores, o filme mostra a aliança que a Rede de Sementes do Xingu tem conseguido firmar entre diferentes atores.

Indígenas, moradores das cidades, agricultores familiares e até mesmo grandes fazendeiros são mostrados fazendo sua parte para reerguer a floresta e manter a biodiversidade, a água, a mata, a vida e o trabalho das pessoas vivo.

Com direção de Tadeu Jungle, "Fazedores de Floresta" pode ser assistido online e de graça no site do documentário.

Final feliz