PUBLICIDADE
Topo
Final feliz

Final feliz

5 filmes para ajudar a repensar a nossa relação com o planeta em 2022

Cena da série documental "Cidade dos Pinguins", da Netflix - Divulgação
Cena da série documental "Cidade dos Pinguins", da Netflix Imagem: Divulgação

Paula Rodrigues

de Ecoa, em São Paulo

24/12/2021 06h00

Nos últimos anos, foram várias as produções audiovisuais que serviram como uma janela para podermos ver outros mundos, ou até mesmo para ver este mundo em que vivemos de outras formas - principalmente no que se refere à relação dos seres humanos com a natureza e à importância de se pensar sobre a preservação do meio ambiente.

Falamos sobre muitas delas por aqui, na seção Final Feliz. Como retrospectiva para esse final de ano, Ecoa separou cinco documentários recentes para ajudar a repensar sobre o impacto negativo que nós, humanos, temos deixado na Terra — mas mostrando também o que nós podemos fazer para melhorar a situação.

1- "A Última Floresta" (2021)

O documentário narra os impactos negativos causados pelo garimpo ilegal no território e nas pessoas do povo yanomami, um dos mais populosos da América do Sul. Em entrevista a Ecoa, o diretor Luiz Bolognesi e o líder e escritor Davi Kopenawa afirmaram que gostariam de passar a beleza deste povo que há milhares de anos vem convivendo harmonicamente com a floresta, além de alertar a quem assistir sobre os riscos do garimpo tanto para os povos indígenas, quanto para o meio ambiente e, consequentemente, para todos.

2- "David Attenborough e Nosso Planeta" (2020)

O ambientalista e naturalista britânico David Attenborough traz no documentário um retrato do que foi sua vida nesses 94 anos de sua existência: uma grande mistura entre a história dele e a do planeta Terra. Desde muito pequeno, a paixão pela natureza guiou Attenborough por um caminho que acabou o levando a se tornar uma das principais referências quando o assunto é biodiversidade. "David Attenborough e Nosso Planeta" é uma biografia do ambientalista e da natureza, que ele mostra estar tão ameaçada pelas ações humanas. Ele, porém, relembra: há esperança e tudo pode ser diferente se mudarmos nossos hábitos.

3- "Professor Polvo" (2020)

polvo - Craig Foster/Divulgação - Craig Foster/Divulgação
Cena do documentário "Professor Polvo"
Imagem: Craig Foster/Divulgação

O cineasta Craig Foster já disse que estar em contato com a natureza durante a produção desse filme lhe ensinou a ser mais gentil. Diariamente, por 300 dias, ele se aventurou em mergulhos em uma floresta subaquática próximo à África do Sul. Acabou se conectando com um polvo que, ao perceber que Foster não era uma ameaça, passou a compartilhar momentos únicos da vida marinha com ele. E isso traz várias reflexões ao cineasta — e em quem assiste também! — sobre a vida, família, saúde mental, entre outras coisas importantes. "O que o polvo me ensinou foi a sentir que você faz parte deste lugar. Você não é apenas um visitante", diz Foster.

4- "Seaspiricy" (2021)

Muitas cidades pelo Brasil já proibiram o uso de sacolas, garrafas, canudos e copos de plástico. E às vezes pode não ficar muito claro o porquê disso. Como o nosso uso diário de plástico pode ser prejudicial? "Seaspiracy — Mar Vermelho" tenta responder essa pergunta. O documentário mostra como a vida marinha é afetada e prejudicada pelo descarte de produtos de plástico no mar. Ali Tabrizi, cineasta responsável pelo filme, investiga como tantos desses produtos vão parar nos organismos de animais marinhos.

5-"Cidade dos Pinguins" (2021)

Duas palavras: Pinguins fofinhos. Não tem como errar. Essa série documental mostra a chegada de quase três mil pinguins em uma vila próxima à Cidade do Cabo, na África do Sul. Os animais, que estão à procura de um lugar para procriar, convivem em perfeita harmonia com a população local, que desenvolveu um carinho especial pelos bichos e hoje ajuda a proteger a espécie ameaçada de extinção. "Cidade dos Pinguins" é daquelas séries que te faz relaxar observando os pinguins, enquanto te mostra que é possível pensar em uma convivência mais respeitosa entre seres humanos e os outros seres vivos.

Final feliz