PUBLICIDADE
Topo

Ação de amigos leva escuta e acolhimento a moradores de rua na Grande SP

Depois de fazer ações na capital paulista, jovem uniu amigos para ajudar a sua cidade - Humberto Mendes
Depois de fazer ações na capital paulista, jovem uniu amigos para ajudar a sua cidade Imagem: Humberto Mendes

Isaac Toledo

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

06/12/2021 06h00

Jefferson André é metalúrgico e mora no bairro Maragogipe, em Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo. Há três anos, começou a fazer voluntariado na capital paulista e, mesmo com a pandemia, não interrompeu a atividade.

Mas Jefferson percebeu que poderia fazer mais pelo seu entorno. Então juntou amigos e a sua experiência com o voluntariado para criar uma ação voltada para pessoas e famílias em vulnerabilidade social da sua cidade.

No dia 23 de agosto de 2020, Jefferson e suas amigas Amanda Borges e Mislene Costa fundaram o projeto Acolhe Itaquá, com objetivo de levar sopa quente às pessoas em situação de rua de Itaquaquecetuba.

"A ideia inicial era levar sopa, pois estávamos no meio do inverno, mas fizemos mais do que isso. Muitas pessoas ajudaram com doações e logo em nossa primeira ação levamos marmitas, kits de higiene, cobertores e roupas", afirma Jefferson, que também é o presidente do projeto.

Kits de lanche e de higiene

As ações acontecem uma vez ao mês e entregam, principalmente, kits com lanches e sucos e kits de higiene pessoal. "Além disso, ajudamos com roupas, cobertores e com remédios quando necessário. Já ajudamos nos custos de animais que precisavam de atendimento veterinário. Levamos rações em todas as nossas ações."

Quando o mês possui datas comemorativas, como Páscoa e Dia das Crianças, o Acolhe Itaquá realiza ações especiais para crianças e jovens da comunidade do bairro de Maragogipe.

"As ações do Acolhe Itaquá entregam mais do que alimento. Estamos aqui para entregar amor, carinho e empatia. Queremos conhecer histórias e nos conectar com nossos irmãos", ressalta Jefferson.

Itaqua - Wellington Moskitto - Wellington Moskitto
Em 15 meses, projeto fez 25 ações e entregou aproximadamente 3000 kits; hoje conta com 50 voluntários ativos
Imagem: Wellington Moskitto

Em 15 meses de existência, o Acolhe Itaquá realizou 25 ações, entregando aproximadamente 3 mil kits, e conta com 50 voluntários ativos, de acordo com o presidente. Na ação especial de Dia das Crianças, realizada em outubro, foram 400 kits de doces e higiene para crianças da região e 35 cestas básicas distribuídas para famílias vulneráveis.

"Quando fundamos o Acolhe Itaquá cada um trouxe na bagagem suas experiências com projetos sociais e, durante esse período de pandemia, conhecemos vários outros projetos, ONG's e ações que ajudaram o nosso a crescer. O voluntário é isso: uma cadeia, um ajuda o outro", destaca Jefferson.

O futuro do projeto

Para 2022, Jefferson quer institucionalizar o Acolhe Itaquá e ampliar a área de atuação do projeto, na própria cidade de Itaquaquecetuba e em municípios vizinhos, como a cidade de Arujá. Além disso, o objetivo é organizar um calendário com ações culturais e educacionais voltadas a crianças e jovens carentes.

Os interessados em fazer doações e/ou se voluntariar ao projeto podem acessar o perfil oficial do Acolhe Itaquá no Instagram ou enviar um e-mail para acolheitaqua@gmail.com.