PUBLICIDADE
Topo

Christiane Torloni: 'No nosso vocabulário, agora, o verbo é agir'

Carmen Lúcia

Colaboração para Ecoa, do Rio de Janeiro

02/12/2021 16h48

"Agora, o verbo é agir". Essa é a máxima que rege a vida da atriz Christiane Torloni quando o assunto envolve as questões ambientais. A vencedora na categoria Vozes que Ecoam, da primeira edição do Prêmio Ecoa, é ativista e, há mais de 10 anos, levanta a bandeira da preservação do meio ambiente, em especial da Amazônia, local onde passou bastante tempo ao dirigir o filme "Amazônia - O Despertar da Florestania", de 2019.

Christiane é conselheira e representante da ONG Fundação Amazônia Sustentável (FAS), fundada em 2008 para a conservação ambiental da Amazônia através da valorização da floresta e sua biodiversidade, e da melhoria da qualidade de vida das comunidades ribeirinhas associada à implementação e disseminação do conhecimento sobre desenvolvimento sustentável.

Concorrendo na categoria com Ailton Krenak, Bruno Gagliasso, Lázaro Ramos e Marina Silva, a atriz se diz muito orgulhosa por ter recebido o prêmio e acredita que todos que estavam disputando dividem com ela essa responsabilidade. "O Lázaro, o Bruno, a Marina, o Ailton, queridos companheiros ao longo destes anos todos, em muitas frentes. Me sinto muito honrada e vejo a minha responsabilidade quadruplicar. Mas, como na vida é bom a gente ter objetivo, e a florestania tem sido objetivo na minha vida já há alguns anos, eu me sinto muito orgulhosa e mais motivada ainda."

Ela cita Ailton Krenak para explicar o que é florestania: "Talvez a melhor definição seja a dele, de que é um código de deveres e direitos que todas as criaturas vivas da floresta têm. Como o nosso código de cidadania, em que a gente aprende regras, deveres, direitos — aliás, uns aprendem mais e outros não aprendem nunca. No caso da florestania é uma questão de sobrevivência. Os povos ancestrais entendem isso como a única possibilidade de que tudo que está vivo ali siga vivendo. É um código de respeito absoluto porque ela vai dividir os povos que são sustentáveis dos povos que negam a sustentabilidade, que negam a possibilidade de todos convivermos juntos, em desenvolvimento e progresso", descreve.

Segundo Christiane, muitas vozes que ecoam estão gritando neste momento para que as soluções sejam tomadas agora, sem nenhum tipo de negociação. E para isso acontecer, é necessário usar todas as ferramentas disponíveis, principalmente as redes sociais. "O Brasil, através das suas redes sociais, neste momento, tem uma ferramenta de fiscalização enorme. Nós nos acostumamos com o sentimento de impotência diante dos governos municipais, estaduais e federais, mas isso é fake news."

Sem medo de lutar — a atriz faz parte do SOS Pantanal, foi presença marcante nos comícios das Diretas Já e entregou o abaixo-assinado "Amazônia para Sempre" ao ex-presidente Lula, em 2009 —, a artista se intitula uma convocadora. Por isso, aproveita o momento para fazer um convite: "Eu convido vocês para que nós continuemos juntos nesta luta. Nós somos ferramentas, nós somos só uma formiguinha neste enorme conjunto de fazedores, mas nós somos importantes. Então, vamos fazer juntos. Sigamos juntos", finaliza.

Conheça os vencedores

Categoria Fizeram História
Vencedora: Irmã Dulce

Categoria Iniciativas que Inspiram
Vencedora
: Associação da Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú

Categoria Empresas que mudam:
Vencedor
: Marulho

Categoria Causadores:
Vencedora: Carmen da Silva Ferreira

Categoria Vozes que Ecoam:
Vencedora
: Christiane Torloni

A premiação nasceu para reconhecer e impulsionar as histórias e soluções de quem está na linha de frente da transformação social no Brasil. O Prêmio ECOA quer agregar valor tanto às iniciativas, pessoas e empresas indicadas quanto para a sociedade brasileira, amplificando as vozes que são silenciadas e construindo pontes entre agentes de transformação, audiência e a sociedade, de forma propositiva e inspiradora.