PUBLICIDADE
Topo

Após juiz dar segunda chance, réu se forma e vira advogado

Edward faz seu juramento como advogado enquanto o juiz Bruce Marrow observa - Arquivo pessoal / Edward Martell
Edward faz seu juramento como advogado enquanto o juiz Bruce Marrow observa Imagem: Arquivo pessoal / Edward Martell

Carolina Vellei

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

10/10/2021 06h00

O momento em que o americano Edward Martell fez seu juramento e se tornou advogado, em maio deste ano, não representou apenas o início de uma nova carreira. A ocasião marcou o fim de uma era de anos de determinação que começou após sua vida sofrer uma reviravolta naquele mesmo tribunal, 16 anos antes.

Em 2005, Edward chegou ao tribunal na cidade de Detroit, onde vive, como um jovem infrator e sem esperanças para o futuro. Aos 27 anos, havia largado a escola sem completar o ensino médio e já acumulava uma longa ficha criminal graças às contravenções e crimes cometidos desde os primeiros anos de sua adolescência.

Naquele ano, havia sido libertado sob fiança após ter sido preso em uma negociação de drogas dias antes do aniversário de sua mãe. Sem esperanças de ser inocentado, ele se declarou culpado de vender e fabricar crack. Durante o julgamento, Martell esteve próximo de receber uma sentença de quase 20 anos na prisão. Mas Bruce Marrow, o juiz que ficou responsável pelo seu caso, era famoso por seguir protocolos legais não tão tradicionais dentro da justiça americana.

"Percebi imediatamente que ele era um cara único", disse Edward à CNN. "Eu entrei em seu tribunal e percebi que ele tratava os réus como pessoas de verdade." No fim, o acusado saiu do julgamento com uma sentença de liberdade condicional de três anos e palavras de encorajamento que, segundo ele, mudaram sua vida.

"Ele me desafiou e disse: 'Sr. Martell, você não precisava estar vendendo drogas. Você tem uma grandeza dentro de você. Eu o desafio, seja um CEO de uma empresa Fortune 500'", lembra. "Fortune 500" é uma lista de empresas bem-sucedidas publicada anualmente pela revista americana Fortune.

O juiz, então, apoiou Edward desde o dia em que ele deixou o tribunal. "Eu disse a Ed: 'minha porta está sempre aberta para você, aqui está meu número, quero saber o que você está fazendo, quero que me mantenha em sua vida'", disse Bruce. "Eu lhe dei uma oportunidade. Todos merecem ser tratados com um grande senso de humanidade e importância", justifica.

Passado no crime

De origem latina, Edward Martell foi criado pela mãe em um bairro simples e estava acostumado a lutar pela sua sobrevivência. "Não percebi o quão difícil era para nós até que fiquei mais velho e fui vítima das muitas tentações que existem aqui para os jovens", disse.

Ele conta que recebeu sua primeira condenação por crime juvenil quando tinha 13 anos. Dois anos depois, foi condenado por outro crime. Foi nessa época que largou o colégio e saiu de casa. "Comecei a andar com o pessoal errado, me envolvi com drogas", lembra.

Além de Edward, Bruce ajudou a mudar a vida de muitas pessoas que passaram pelo seu tribunal. "Eu digo a eles: você foi enviado para mim - isso não é aleatório, você não está em um lugar por coincidência, você está aqui com um propósito", explicou o juiz à reportagem da Fox News.

"Se você não estiver procurando melhorar a vida das pessoas e se conectar com elas, você só irá ver a ofensa de que são acusados", completou. "Edward é como muitas das outras pessoas que aparecem aqui. Eles são talentosos, brilhantes, têm habilidades e aptidões."

Novas metas para o futuro

Ao sair do tribunal naquela época, Edward sabia o que queria ser: advogado. Sem ter o exemplo de amigos que tenham entrado na faculdade ou familiares com ensino superior, ele precisou trilhar um caminho inédito para si mesmo.

Assim, decidiu voltar à escola para terminar o ensino médio e acabou ganhando uma bolsa integral para a faculdade de direito na Universidade de Detroit-Mercy. Ao concluir o curso e receoso de não poder advogar, ele consultou o comitê de ética da Ordem dos Advogados de Michigan e recebeu uma boa notícia: eles lhe disseram que seu passado não tinha que ditar seu futuro e não bloquearam sua tentativa de se tornar um advogado.

Em maio de 2021, 16 anos depois do primeiro encontro, Edward e Bruce se abraçaram após o recém-formado concluir o juramento como advogado. Nas imagens que circularam pela internet, o juiz olha emocionado para o homem que acabara de se tornar um membro juramentado da Ordem dos Advogados do Estado de Michigan.

Hoje, Martell está feliz em seu novo emprego como advogado de um escritório no centro de Detroit. Aos 43 anos, ele está ansioso por seu futuro na área legal. Também planeja retribuir à comunidade e servir de inspiração para outras pessoas. "Não importa qual foi o seu passado, nem mesmo qual é a sua situação atual, você pode sonhar alto", concluiu.