PUBLICIDADE
Topo

Projeto busca padrinhos para capacitar quem perdeu o emprego na pandemia

Paralelamente à ação de educação, o Dignidade+ também distribui cestas básicas às famílias - Arquivo pessoal
Paralelamente à ação de educação, o Dignidade+ também distribui cestas básicas às famílias Imagem: Arquivo pessoal

Ed Rodrigues

Colaboração para o Ecoa, em Recife

10/09/2021 06h00

Três amigos resolveram se movimentar para ajudar pessoas em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em meio à crise gerada pela pandemia de covid-19. O projeto Dignidade+ leva educação especializada a comunidades vulneráveis. O grupo identifica as necessidades de estudo e busca apadrinhamentos para custear os cursos.

O projeto foi criado diante da necessidade de recolocação das pessoas no mercado de trabalho depois que o fechamento das atividades pelas restrições da pandemia fez crescer o desemprego. Os amigos perceberam que, mais do que nunca, era preciso mobilizar benfeitores e oferecer opções para a população em vulnerabilidade social.

Paralelamente à ação de educação, o Dignidade+ também distribui cestas básicas. Mais de 90 famílias já foram beneficiadas. "Completamos 1 ano de projeto no último dia 29 de agosto. Eu já faço trabalho voluntário há bastante tempo. Mas os tempos estão mais difíceis. Participar da mudança na vida das pessoas das comunidades é extremamente gratificante", explicou a servidora pública federal Renata de Almeida.

Segundo ela, jovens adultos que querem retomar os estudos também são auxiliados. As demandas são bem específicas, mas o grupo sempre consegue encontrar soluções. "Temos a Viviane, por exemplo, que cursava pedagogia EAD. Ela tinha apenas um celular para assistir as aulas. Doamos um computador e pagamos a internet dela", conta Renata.

Dignidade+ - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Quando o Dignidade+ chega nas comunidades as crianças fazem festa com as doações
Imagem: Arquivo pessoal

Viviane recentemente passou em um concurso público. "Enquanto ela não é nomeada, nós a pagamos para auxiliar na alfabetização de uma criança da própria comunidade. Assim, ajudamos os dois", continua a servidora.

O projeto tem cursos permanentes oferecidos por voluntários. Os temas vão de cartonagem a decoração de balões. De acordo com Renata de Almeida, o Dignidade + busca transformar a comunidade com oportunidades.

"Estamos fechando uma parceria com uma escola pública para auxiliar, na medida do possível, nas estruturas físicas da escola, melhorando o ambiente escolar para alunos, professores e comunidade", disse.

Renata confessa que o caminho não é fácil, mas considera que os resultados fazem tudo valer a pena. "Temos a certeza de que, se hoje estamos em uma condição mais confortável, isso só foi possível graças à educação e todo o apoio que recebemos das nossas famílias", diz.

Viviane Borges de Oliveira é mãe solteira e moradora no bairro Restinga Nova, em Porto Alegre. Ela se preparava para participar de um concurso público quando conheceu o projeto.

"Eles conseguiram um computador para mim e ajudam pagar a faculdade. Muitas vezes, eles chegaram aqui em casa eu não tinha nem o que comer. Nem cama para dormir eu tinha. O projeto que me deu. Quando eles chegam na comunidade as crianças fazem festa. Ajudam muito. Passei no concurso com a ajuda deles", conta.

Para obter mais informações sobre o projeto, basta acessar a página no Instagram ou pelos telefones: (51) 99963.2048 / (51) 98451.1450 Doações em dinheiro podem ser feitas pelo Pix: 51984511450