PUBLICIDADE
Topo
Iniciativas que inspiram

Iniciativas que inspiram

Como iniciativas em Niterói e Brasília combatem o desemprego

Casa do Empreendedor em Niterói - Douglas Macedo
Casa do Empreendedor em Niterói Imagem: Douglas Macedo

Carol Castro

Colaboração para Ecoa, do Rio de Janeiro (RJ)

16/08/2021 06h00

Todo carioca adora brincar que a melhor parte de Niterói é a vista para o Rio de Janeiro. Mas da capital fluminense se avista outra coisa na cidade vizinha: oportunidade de emprego. Em junho, Niterói registrou o maior saldo positivo de geração de emprego do ano, com 909 novas contratações com carteira assinada. No ano, a cidade acumula 2.217 novas vagas formais ocupadas, segundo dados do Caged.

Não que tenham sido dias fáceis. A pandemia levou, no primeiro semestre do ano passado, ao fechamento de mais de 8 mil vagas. E a catástrofe teria sido pior se o governo municipal não tivesse adotado algumas medidas emergenciais.

Até julho deste ano, micro e pequenos empresários contaram com o programa Empresa Cidadã. A prefeitura bancou, por 16 meses, o pagamento de um salário mínimo para quase metade dos funcionários de empresas com até 49 colaboradores. Em troca, os donos dos estabelecimentos se comprometeram a manter os mesmos postos de trabalho pelos próximos oitos meses e respeitar as medidas sanitárias e de distanciamento social. Segundo estudo da Secretaria Municipal da Fazenda, a primeira fase da medida garantiu a manutenção de mais de 2 mil vagas de emprego no setor varejista.

Passado o pior momento da pandemia, a Prefeitura ainda investe no cuidado com os empresários locais em várias frentes. Por lá, recentemente, a Casa do Cidadão, que oferece serviços aos microempreendedores, fechou parceria com o Sebrae. Todos os funcionários receberão cursos de capacitação para auxiliar ainda mais nos atendimentos.

"Não será um local onde o autônomo vai só para imprimir seu boleto do MEI",explica Américo Diniz, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico. "Será onde o autônomo vai para receber orientações que potencializem os resultados do seu negócio, para se regularizar dentro dos processos burocráticos", completa. De 2020 para cá, houve um aumento de 67% na abertura de microempresas na cidade.

No centro da cidade, um casarão abre ainda outro espaço aos empreendedores. O Núcleo de Atendimento ao Empreendedor, vinculado à pasta de Diniz, oferece o Programa Mentoria de Negócios. "Vamos agora para a segunda turma, que conecta profissionais com ampla experiência na área de empreendedorismo (mentores) e empreendedores precisando de orientações para crescer seus negócios (mentorados)", conta. "Com essas medidas, a gente aumenta as possibilidades do negócio dar certo. E quando a empresa começa a melhorar, porque é bem orientada, ela pode expandir, ela pode contratar. Então o que estamos fazendo é ampliar as possibilidades de sucesso dos negócios da cidade."

Contrata-se no Distrito Federal

1 - Divulgação - Divulgação
Empresa SKS
Imagem: Divulgação

Imagine um desconto de até 67% no ICMS. Em troca, mais vagas de emprego, investimentos em projetos sociais e sustentabilidade. Desde 2019, o governo do Distrito Federal oferece subsídios fiscais às grandes empresas por meio do programa Emprega DF. "O que nos motivou foi a criação de um cenário, ambiente de negócios, de atração a novos investimentos e também de cuidado com as plantas já existentes", explica José Eduardo Pereira, secretário de Desenvolvimento Econômico do DF. "E o ICMS tem um peso muito significativo para as empresas, então o benefício alivia bastante."

Qualquer empresa média ou grande pode aderir ao programa. O processo todo começa pela Secretaria de desenvolvimento econômico que, em seguida, aciona a equipe técnica da Secretaria de Economia local. Quanto maiores os projetos, em relação à geração de empresas e outros projetos favoráveis ao desenvolvimento das cidades, maior também o desconto - que pode variar de 40% a 67%. "E isso eventualmente pode aumentar de acordo com condições de customização com aquilo que apresenta ao DF como investimento, a vontade de investir da empresa", relata Pereira.

2 - Divulgação - Divulgação
Empresa Diviforma
Imagem: Divulgação

Só para citar um dos exemplos, no primeiro contrato fechado pelo programa, em novembro de 2019, a SKS Indústria, Comércio e Serviços para Construção LTDA prometeu aumentar o quadro de funcionários fixos de 30 para 160. Recebeu o desconto máximo, o que gerou uma economia superior a R$ 400 mil por ano. Além dos novos postos de trabalho, a empresa construiu uma clínica de saúde para seus colaboradores e seus familiares.

Até agora, 23 empresas aderiram ao Emprega DF e há a perspectiva de adesão de outras oito. E, segundo Pereira, com o incentivo do governo, as empresas criaram 9 mil diretos e outros 11 mil nasceram de forma indireta. No primeiro semestre, de acordo com dados do Caged, o Distrito Federal apresentou saldo positivo na geração de empregos no primeiro semestre de 2021.

Outras iniciativas do Estado também apoiam micro e pequenas empresas. "Desenvolvemos também um programa de qualificação profissional dos trabalhadores, para reinserção no mercado de trabalho qualificação de micro e pequenas empresas, com aporte do BID [Banco Interamericano de Desenvolvimento]", conta Pereira. "E criamos linhas de créditos. Foram uma série de medidas para mitigar a dificuldade que os empresários enfrentam nesse momento".

Ciclo de Trabalho Ecoa -  -

Iniciativas que inspiram