PUBLICIDADE
Topo
Iniciativas que inspiram

Iniciativas que inspiram

Professoras doam cestas básicas para alunos refugiados e imigrantes no PR

Professores entregam cestas para migrantes e refugiados em Curitiba - Divulgação
Professores entregam cestas para migrantes e refugiados em Curitiba Imagem: Divulgação

Antoniele Luciano

Colaboração para Ecoa, de Curitiba (PR)

26/07/2021 06h00

Desde quando foi criado, em 2013, o programa Português Brasileiro para Migração Humanitária (PBMIH) reúne na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, professores e estudantes interessados em trabalhar no acolhimento de migrantes e refugiados vindos de países como a Síria, Haiti e Venezuela. O trabalho é feito, principalmente, por meio da língua: além da oferta de aulas de português, são desenvolvidas campanhas e eventos voltados à integração desse público na comunidade.

Com a chegada da pandemia, a equipe envolvida se deparou com outras necessidades dos cerca de 300 alunos. Perda de emprego e diminuição de renda passaram a ser experiências compartilhadas por muitas dessas famílias. Essa situação levou as professoras que atuam na coordenação do PBMIH a colocarem em ação, de maneira independente da instituição, uma vaquinha virtual. A iniciativa, batizada de "Solidariedade na mesa", foi responsável pela entrega de 450 cestas básicas desde junho do ano passado. Uma nova meta de arrecadação está em curso - R$ 15 mil para quatro meses de doações. O valor de cada cesta é de R$ 75.

Uma das responsáveis pela campanha, a professora Maria Gabriel, 35, explica que, como não foi possível abrir turmas presenciais nem trabalhar remotamente com os estudantes, o caminho foi oferecer atendimento informacional sobre a covid-19 no idioma dos migrantes e refugiados. Foi no meio desse contato, que a equipe passou a conhecer os desafios diários dos estudantes. "Não queríamos perder o vínculo com eles nem que se sentissem ainda mais isolados, porque muitos estão distantes da família aqui", pontua a professora.

Embora o PMBIH não seja um programa assistencial, Maria assinala que foi impossível não ser impactada com a situação. Por isso, investiram no lançamento da campanha emergencial, enquanto sociedade civil. "Nós, enquanto pessoas, não poderíamos deixar passar", observa.

A campanha foi bem recebida pela comunidade e como a situação de crise se estendeu, a arrecadação foi renovada. As famílias contempladas têm crianças e são moradoras de Curitiba e da região metropolitana da capital paranaense. Além das cestas básicas, elas recebem frutas, verduras, legumes, cobertores e outros itens doados por parceiros. "Toda nossa divulgação foi feita no 'boca a boca', por não se tratar de um projeto da instituição. A campanha viralizou, o que mostra como a comunidade se comprometeu", analisa Maria.

1 - Divulgação - Divulgação
Doações arrecadadas pelo programa Português Brasileiro para Migração Humanitária (PBMIH)
Imagem: Divulgação

Para dar conta das entregas, foi preciso desenvolver um protocolo que garantisse a segurança dos voluntários da campanha e das famílias beneficiadas. São entregues senhas com horários espaçados, a fim de evitar aglomerações no dia combinado. Quatro pessoas atuam na preparação do local, de acordo com as regras sanitárias e de distanciamento social, e na distribuição das cestas, no pátio da reitoria da universidade. A professora Jeniffer Albuquerque, 35, uma das envolvidas nessa etapa, diz que os resultados da iniciativa vão além da subsistência dos estudantes e suas famílias. "Noto que há um efeito simbólico do ato da entrega, é um momento para os alunos migrantes verem rostos conhecidos, de poderem conversar, muitas vezes desabafar sobre a situação", avalia.

Cartilha

Institucionalmente, o PBMIH tem atuado na produção de cartilhas para facilitar o acesso à informação de migrantes e refugiados durante o momento de distanciamento social. Já foram publicados materiais sobre como evitar a contaminação pelo coronavírus, como higienizar alimentos, uso de máscaras de proteção, saúde mental, Cadastro Único, crédito alimentar, combate à violência doméstica, auxílio emergencial, funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e vivência do luto na pandemia. Há versões em seis idiomas: português, inglês, árabe, crioulo haitiano, francês e espanhol.

O material pode ser acessado neste link: https://www.pbmihufpr.com/blog

Doações para a campanha "Solidariedade na mesa" podem ser feitas no link https://abacashi.com/p/solidariedade-na-mesa-2021

Ao final de cada entrega, a prestação de contas sobre o valor arrecadado e o quanto foi gasto é publicada nas redes sociais da iniciativa.

Instagram: https://www.instagram.com/solidariedade.namesa

facebook: https://www.facebook.com/solidariedade.namesa

Iniciativas que inspiram