PUBLICIDADE
Topo
Destretando

Destretando

Como a sustentabilidade afeta nossas vidas e qual origem do conceito?

Sustentabilidade, diversidade, universo corporativo - Getty Images
Sustentabilidade, diversidade, universo corporativo Imagem: Getty Images

Giacomo Vicenzo

Colaboração para Ecoa, de São Paulo (SP)

06/07/2021 06h00

Manter hábitos sustentáveis em todas as esferas da sociedade deveria ser preocupação pessoal, governamental e empresarial. Hoje reconhecemos os impactos da degradação da natureza e a sustentabilidade tem se tornado pauta global.

Na cultura ocidental e industrial, esse olhar para o meio ambiente nasce em 1972 com a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente Humano, que elaborou a Declaração de Estocolmo e quebrou com a ideia de que a natureza poderia ser explorada sem preocupações com a sua ?finitude?. Esse saber já era comum em outras culturas, como a das centenas de nações indígenas que vivem no Brasil.

A conferência foi um marco e tratou da criação de regras ambientais internacionais, direitos humanos, redução da poluição e deu os primeiros passos para o desenvolvimento sustentável. A partir dela foi elaborado o Pnuma (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), que apontou recentemente que estamos na última década para prevenir e reverter a degradação dos ecossistemas em todo o mundo.

Mas o que significa sustentabilidade e qual a importância dela para nosso planeta? Não só para os animais e plantas, mas para nossa própria sobrevivência. Ecoa conversou com especialistas no tema para responder essas e outras perguntas. Confira:

O que significa sustentabilidade e qual sua importância?

A origem da palavra sustentável vem do latim e significa, entre outras definições, "sustentar; conservar".

"Sustentabilidade é um conceito em que se suprem as necessidades do presente, mas sem afetar as necessidades do futuro, visando um equilíbrio entre a disponibilidade de recursos naturais e a exploração", explica Francyne Elias-Piera, mestre em oceanografia biológica (USP) e doutora em ciência ambiental (Universitat Autònoma de Barcelona).

"É como olhar o mundo com óculos tridimensionais e tomar decisões que levem em consideração não só as questões financeiras, mas também as ambientais e sociais. A ideia é que cada ação seja pensada não somente no quanto custa, mas sim no quanto de impacto positivo ou negativo pode causar no ecossistema ou na vida de outras pessoas", diz Marcus Nakagawa, professor da ESPM e especialista em sustentabilidade.

Nakagawa resume o que significa sustentabilidade e a sua importância pensando em meio ambiente, explicando que é a percepção de que o mundo é finito e de que ele precisa se regenerar. Inclusive, usar recursos além do que o mundo pode regenerar nos coloca mais próximos do Dia da Sobrecarga da Terra ("Earth Overshoot Day", no original, em inglês.

Existem tipos diferentes de sustentabilidade?

Essa é outra dúvida comum quando se pensa no que é sustentabilidade, mas apesar do conceito integrar várias vertentes como, sociais, ambientais e econômicas, o especialista em sustentabilidade explica que na verdade ela é única e com um prisma triplo.

"Há quem classifique em ambiental, social e econômico. Nas empresas o termo colocado atualmente é o ESG (Environmental, Social e Governance), ou seja, Ambiental, Social e Governança. É a forma que as empresas realizam as ações, projetos e programas focados em resultados econômicos atrelados às questões inerentes ao planeta e às pessoas", explica.

Francyne Elias-Piera, a pedido de Ecoa, explica esses três pilares de sustentabilidade de forma simplificada:

Quais os três pilares de sustentabilidade?

1 - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Investimentos, investimentos sustentáveis, ESG, finanças pessoais
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Sustentabilidade social: engloba as pessoas e suas condições de vida e trabalho, visando dar melhor qualidade de vida. Igualdade de gênero e de raças também estão inclusas.

Sustentabilidade ambiental: engloba todos os recursos naturais do planeta e como são utilizados por todos para que os ecossistemas continuem conservados e preservados.

Sustentabilidade econômica: está relacionada com a produção, distribuição e consumo consciente de bens e serviços. É preciso saber gerenciar os recursos de maneira eficiente para que não exista desperdício.

O que é desenvolvimento sustentável? Como balancear sustentabilidade e desenvolvimento?

É basicamente para responder a esta pergunta que o conceito de desenvolvimento sustentável foi usado pela primeira vez no relatório intitulado de ?Nosso Futuro Comum? em 1987 [conhecido como Relatório Brundtland], da Comissão Mundial do Meio Ambiente e Desenvolvimento, liderada pela então ministra norueguesa Gro Brundtland e instituída pela ONU.

"Os 17 ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) da ONU são a base para este sonho comum de desenvolvimento e quebra dos problemas e desafios do mundo. Desde que foi citado no Relatório Brundtland em 1987. O termo desenvolvimento sustentável vem sendo disseminado como uma maneira de termos um planeta mais próspero, inclusivo, diverso, equilibrado e humano", ressalta Nakagawa.

Para Elias-Piera o caminho do desenvolvimento sustentável pode beneficiar o planeta e as empresas que aderem ao compromisso e exemplifica o cenário. "Se a empresa pensa em diminuir o desperdício de material na produção e até no consumo dos próprios colaboradores, isso também gera lucro para a empresa, além de estar contribuindo para o uso dos recursos naturais de maneira mais inteligente e duradoura", lembra.

Nakagawa é enfático ao afirmar que desenvolvimentos [de qualquer esfera] que foquem só na questão financeira têm apenas um destino: a falência. "Um desenvolvimento focado somente na temática financeira nos dias de hoje tende a não ter continuidade e falecer", explica.

O professor aponta que as saídas já estão postas e os combustíveis verdes são um grande trunfo para balancear desenvolvimento e sustentabilidade. "Um bom exemplo é a Economia Verde que está crescendo muito em função das energias limpas e renováveis como, eólica e solar, que tem um impacto ambiental e social menor do que as atuais e são mais perenes. Com esses recursos é possível gerar desenvolvimento econômico e social com educação e tecnologia", aponta.

Destretando