PUBLICIDADE
Topo

Plural é um projeto colaborativo do UOL com coletivos independentes, de periferias e favelas para a produção de conteúdo original


Conversa de Portão #27: Fim de gratuidade para idosos nega direito à cidade

De Ecoa, em São Paulo

11/04/2021 06h00

Desde fevereiro de 2021, idosos de 60 a 65 anos não têm mais direito à gratuidade no transporte público da cidade de São Paulo. A medida foi determinada pelo governador do estado, João Doria, e pelo prefeito da capital, Bruno Covas, em meio à pandemia de covid-19, durante a qual parte significativa da população tem enfrentado redução de sua renda.

Para avaliar os impactos do fim da gratuidade para idosos que vivem nas periferias, o 27º Conversa de Portão entrevista Maria José Bezerra Santos, auxiliar de limpeza aposentada de 64 anos, e a especialista em mobilidade urbana Kamila Lorrayne Alves.

Para Alves, o fim da gratuidade é um retrocesso que desestimula o uso do transporte público por essa faixa da população, o que prejudica seu direito à cidade.

"O transporte cumpre uma função essencial hoje na sociedade. Ele dá acesso a todos os outros direitos sociais, a lazer, saúde, educação", disse (a partir de 12:51 do arquivo acima).

Sem poder acessar o transporte devido ao preço da tarifa, o resultado, segundo ela, é a segregação social. "É isso que acontece quando a gente deixa uma tarifa mais cara, quando a gente tira um direito de acesso que facilitaria seja na integração, seja no direito do idoso [ao fazer] uma visita de lazer em que ele vai pra outro bairro ou [de se deslocar] para situações essenciais", afirmou (a partir de 22:24 do arquivo acima).

Moradora de Perus, na Zona Norte de SP, Maria José Bezerra Santos enfatizou o quanto a gratuidade é importante para ela e outras conhecidas que, vivendo com uma aposentadoria de um salário mínimo e tendo grandes despesas com remédios, necessitam do benefício para fazer seus deslocamentos na cidade.

"Eu usava [o bilhete de idoso] para fazer fisioterapia, hidroginástica, pra sair e fazer meus tratamentos, acupuntura. Quando eu saía pra algum lugar eu sempre usava ele, o municipal e o outro. Eu brincava que tinha dois 'uber' na minha carteira", disse (a partir de 3:31 do arquivo acima).

O Conversa de Portão é um podcast produzido pelo Nós, Mulheres da Periferia em parceria com UOL Plural, um projeto colaborativo do UOL com coletivos e veículos independentes. Novos episódios são publicados toda terça-feira.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição. Você pode ouvir Conversa de Portão, por exemplo, no Youtube, no Spotify e no Google Podcasts.