PUBLICIDADE
Topo
Destretando

Destretando

O que são alimentos orgânicos e quais são seus benefícios?

Cesta de alimentos orgânicos - Getty Images
Cesta de alimentos orgânicos
Imagem: Getty Images

Giacomo Vicenzo

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

05/03/2021 04h00

Você sabe o que são alimentos orgânicos? Eles têm ganhado mais espaço nas prateleiras e pratos brasileiros, inclusive seu consumo aumentou desde que a pandemia de covid-19 começou. Segundo o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis) a expectativa de crescimento no setor era de 10% antes da quarentena, mas eles já esperam por mais.

Mas o que são alimentos orgânicos?

Os alimentos orgânicos não são uma espécie ou tipo específico, mas o título se deve especificamente à forma como são cultivados, de uma forma natural, sem o uso de adubos químicos, agrotóxicos e sem utilizar recursos de engenharia genética, ou seja eles não são Organismos Geneticamente Modificados (OGM) ou transgênicos.

"São alimentos cultivados da forma mais natural possível, livres de agrotóxicos e de qualquer química que possa mudar a composição. Seja para deixá-los mais suculentos, com cor melhor, sabor mais intenso ou livre de pragas. Esta forma de cultivo não utiliza nenhum aditivo artificial, antibióticos ou agrotóxicos", explica a nutróloga Valéria Goulart, especialista em terapia nutricional.

Mas por que insistimos nos agrotóxicos, então? Bom, a terra própria para plantio consegue garantir vida aos vegetais, frutos, hortaliças e outros derivados, mas o uso de recursos sintéticos aceleram o processo de cultivo e garantem a menor infestação de pragas, que comumente atacam as lavouras das mais variadas culturas.

Por que consumir orgânicos?

Você deve estar se perguntando, porque consumir orgânicos se a oferta dos alimentos de cultivo agrícola com agrotóxico é mais simples de encontrar e geralmente mais em conta. Listamos algumas das principais razões a seguir:

Agrotóxicos causam danos à saúde e não há dosagem segura

O primeiro ponto é justamente a menor presença dos agrotóxicos. O Brasil inclusive, tem um histórico de ampliação de uso desses químicos, em 2018 as 500 mil toneladas usadas em nossas lavouras colocaram o país no topo da lista entre os que mais utilizam esse tipo de veneno nas plantações. Em 2020, a aprovação de novas substâncias foi recorde e teve mais de 493 produtos liberados.

Apesar da grande variedade de produtos que literalmente pairam sobre as terras brasileiras, 49% dos alimentos têm ausência de resíduo de agrotóxicos e 28% estão no limite permitido, de acordo com o último levantamento do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), realizado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que analisou 4616 amostras. Dessas, 41 unidades (0,89%) apresentaram quantidades de resíduos que representam potencial de risco agudo e que podem causar danos à saúde se consumidos em grande quantidade em uma refeição ou ao longo do dia.

No entanto, um estudo Encomendado pelo Ministério da Saúde e realizado pelo Instituto Butantan, que analisou cerca de dez agrotóxicos usados amplamente nas lavouras pelo país, apontou que não há dose segura para esses pesticidas, mesmo quando adotadas quantidades equivalentes a até um trigésimo do recomendado pela Anvisa.

Alimentos orgânicos trazem mais benefícios ao corpo humano?

Feira - Adriano Fagundes - Adriano Fagundes
Fazenda Santa Julieta Bio orgânicos
Imagem: Adriano Fagundes

A simples ausência de pesticidas que fazem mal à saúde já seria um motivo e tanto para procurar os tomates para salada do próximo almoço no produtor local mais próximo de você não é mesmo? Mas os benefícios também se estendem às propriedades nutricionais.

Isso porque o uso dos agrotóxicos muda a estrutura química dos alimentos, reduzindo a quantidade de substâncias que agem como ?remédios naturais? para o organismo.

"Alguns alimentos cultivados de forma totalmente natural tendem a apresentar níveis superiores de fitoquímicos. Esses compostos têm ação antioxidante e são capazes de combater radicais livres, o envelhecimento precoce, o câncer, doenças cardiovasculares e atuam na modulação dos hormônios, redução da pressão arterial e apresentam atividade antibacteriana e antiviral", explica a nutróloga Valéria Goulart para ECOA.

Goulart ressalta que a dieta à base de alimentos orgânicos é recomendada para todos. "O ideal sempre é fugir de tudo que é industrializado e procurar alimentos com selo de orgânicos", completa.

Como identificar alimentos orgânicos?

A forma mais simples é procurar por produtos que contenham o selo do SisOrg (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica) colados nos rótulos ou pela embalagem da mercadoria.


Reprodução/SisOrg (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica)


A certificação é feita por uma certificadora credenciada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e "acreditada" (credenciada) pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e garante que o produto, processo ou serviço segue todas as normas da produção orgânica.

Onde comprar alimentos orgânicos?

Se você chegou até aqui deve estar pensando em dar mais espaço no prato para os orgânicos, certo? E vale a pena procurar por eles além das prateleiras dos supermercados.

Produtores locais e pequenos agricultores costumam produzir alimentos orgânicos, vale ficar de olho por sítios e chácaras que cultivem e comercializem esses produtos.

As feiras orgânicas também são uma ótima opção. Se você não tem ideia de onde ou como encontrá-las, o site idealizado pelo Instituto Kairos traz um mapa de feiras de alimentos orgânicos por todo o Brasil, basta digitar a sua localização e conferir a mais próxima de você. Também é possível adicionar iniciativas dentro do sistema, e assim ajudar a divulgar onde comprar alimentos fresquinhos e livres dos agrotóxicos.

Destretando