PUBLICIDADE
Topo

Ônibus da Saúde criado na USP já está em funcionamento para combater covid

Ônibus transformado em unidade de saúde móvel - Divulgação/ Projeto O-SI
Ônibus transformado em unidade de saúde móvel Imagem: Divulgação/ Projeto O-SI

Lígia Nogueira

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

24/02/2021 11h17

Uma clínica móvel idealizada por um estudante de arquitetura da USP em parceria com a Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) para ajudar no combate à covid-19 entrou em funcionamento no final de dezembro em São Paulo.

Andre Zanolla, que está no quinto ano da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), é o autor da ideia que transforma ônibus em unidades de saúde imediata para atuar na vacinação, testagem e atendimentos de baixa complexidade, como diagnóstico, medicação intravenosa e exame de sangue.

O projeto da plataforma O-SI é financiado por empresas e instituições de diversos segmentos, como escritório de arquitetura, indústrias químicas e farmacêuticas e do setor de saúde e a estimativa é de que cada Ônibus da Saúde atenda 4 mil pacientes por mês.

Um novo destino para a sucata

A clínica móvel é feita a partir de adaptações na estrutura de ônibus usados no transporte público e que saem de circulação. Em muitas cidades brasileiras, boa parte dos veículos vira sucata depois de 10 anos. A plataforma dá um destino sustentável ao material e ainda funciona como equipamento de saúde complementar, contribuindo para a descentralização dos atendimentos hospitalares.

De acordo com a USP, as unidades são equipadas com um sistema de insuflamento de ar com filtragem que reduz a carga microbiológica no ambiente. Esse sistema é capaz de inativar 98% da carga viral de Sars-Cov-2 (coronavírus) presente no ar em pouco mais de três horas. Há também um sistema de recirculação de ar com filtragem que elimina até 99% dos vírus e 99,99% das bactérias.