PUBLICIDADE
Topo

Ailton Krenak participa de festival online com debates, música e cinema

O líder indígena Ailton Krenak - Divulgação
O líder indígena Ailton Krenak Imagem: Divulgação

Lígia Nogueira

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

19/02/2021 04h00

A reconexão com as nossas matrizes e heranças é um dos principais motes do Festival Cajubi: Ruptura e Reencanto, evento online gratuito que acontece nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro. A iniciativa tem inspiração na lenda Karajá, em que o pássaro Cajubi rasga as trevas com o seu voo, criando o dia e a noite.

Ailton Krenak, escritor, ativista do movimento socioambiental e de defesa dos direitos indígenas, e organizador da Aliança dos Povos da Floresta, que reúne comunidades ribeirinhas e indígenas na Amazônia, está entre os convidados.

Ele participará de um bate-papo com a poetisa, jornalista, atriz e cantora Elisa Lucinda às 18h30 da quinta-feira (25). A programação do dia inclui show de Letrux e a exibição do filme "Espero tua (re)volta", documentário de Eliza Capai sobre as lutas estudantis desde as marchas de 2013 até a vitória de Jair Bolsonaro, em 2018.

Tom Zé, Juçara Marçal, Luiz Antonio Simas, Tiganá Santana e Décio 7 (Bixiga 70) também fazem parte da programação, que terá sempre um debate mediado pelo professor e pesquisador Antonio Leal, uma performance musical e uma sessão de cinema. A transmissão será feita no YouTube oficial do evento.

O conteúdo dos debates dará origem a um livro digital com reflexões e obras de seis artistas contempora?neos: Uyra Sodoma, Denilson Baniwa, Ricardo Cástro, Marcola, Marina Wisnik e Marcia Ribeiro, idealizadora e curadora artística do festival.

"A pandemia escancarou algo que já era latente, mas ficava restrito aos campos da teologia, da metafísica e da mitologia: a intrínseca e profunda conexão entre as coisas e os seres do universo. Ainda há tempo para pensar: o que aprendemos com essa nova realidade? O que podemos reinventar agora?", questiona Marcia.