PUBLICIDADE
Topo

Artista escocês cria álbum de sons felizes e troca por mensagens positivas

Artista escocês troca álbum por mensagens felizes na pandemia - Divulgação
Artista escocês troca álbum por mensagens felizes na pandemia Imagem: Divulgação

Lígia Nogueira

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

03/02/2021 12h08

Assim como muita gente no mundo inteiro, o artista escocês Tommy Perman sentiu o peso do isolamento causado pela pandemia de coronavírus e recorreu às redes sociais para se manter conectado.

Conversando com amigos de diversos países, o músico teve a ideia de pedir que lhe enviassem sons que os deixavam felizes. O material recebido era tão rico que acabou dando origem a um álbum de 80 minutos do que ele descreve como música eletrônica e ambiente suave.

Intitulado "Positive Interactions", o disco pode ser baixado gratuitamente em troca de uma mensagem positiva, que o artista planeja usar em uma versão futura do projeto. Interessados devem escrever um e-mail para happy@positiveinteractions.space e aguardar o link para download das músicas.

"Em setembro de 2020 entrei em contato com alguns amigos e pedi que me enviassem um som que os deixasse felizes. Esses amigos vivem em todo o mundo —Austrália, Inglaterra, Alemanha, Holanda, Hong Kong, Índia, Japão, Lituânia, México, Escócia e EUA", diz Perman em texto publicado em seu site.

"À medida que as gravações começaram a chegar em minha caixa de entrada, comecei a notar temas recorrentes, como cantos de pássaros, sons de animais de estimação, como miados, ronronos e latidas, barulhos da natureza e sons peculiares do cotidiano, como rangidos de portas e bips de lava-louças."

Com sede na zona rural de Perthshire, Tommy Perman usa a arte para falar sobre o ambiente construído, documentando o crescimento e a decadência das cidades e da natureza urbana. Ele é cofundador do coletivo de artistas FOUND e criou instalações premiadas, incluindo "Cybraphon" (2009), uma escultura de robô interativa que estreou no Festival Internacional de Edimburgo em agosto de 2009, ganhou um prêmio escocês BAFTA alguns meses depois e hoje faz parte do acervo permanente do Museu Nacional da Escócia.